4 eventos ao vivo
Logo do Copa do Brasil
Foto: terra

Copa do Brasil

"Michael Jackson" dá show, faz 4 gols e classifica Palmeiras

2 mar 2011
23h48
atualizado em 3/3/2011 às 10h56
Dassler Marques
Direto de São Paulo

A grande reclamação no Palmeiras nas últimas semanas é a ausência de um goleador, para converter as várias chances criadas. Nesta quarta-feira, contra o Comercial-PI, Adriano "Michael Jackson" mostrou que pode cumprir este papel. O atacante marcou quatro vezes no Pacaembu e levou o time alviverde ao triunfo por 5 a 1 e à classificação para a próxima fase da Copa do Brasil, sendo que os gols só saíram depois que a equipe de Campo Maior teve dois jogadores expulsos.

O Palmeiras precisava ao menos do empate para garantir a classificação. No jogo de ida, no Piauí, o time paulista vencia por 2 a 0 até os últimos minutos, quando cedeu o gol que levou a decisão a São Paulo. Na próxima fase, os alviverdes enfrentam o Uberaba, que despachou o Santa Helena.

Apesar do placar elástico, a atuação do Palmeiras no Pacaembu não foi para animar a torcida. Sem Kleber, substituído aos 25min após lesão, o time teve dificuldades para criar boas oportunidades. Para complicar a situação ainda mais, Valdivia perdeu pênalti.

Somente quando o Comercial estava com apenas nove jogadores - Rafael e Evandro foram expulsos - é que o Palmeiras iniciou sua goleada. Adriano aproveitou os espaços da defesa adversária para fazer seu show, com Gabriel Silva completando o placar.

O show do Michael Jackson

Adriano, o "Michael Jackson", marcou seu primeiro gol com a camisa do Palmeiras há uma semana, justamente contra o Comercial. Quatro dias depois, impediu a derrota palmeirense no confronto com o São Paulo. Por conta dessa sequência, se tornou a maior novidade de Luiz Felipe Scolari no reencontro com a equipe piauiense, no Pacaembu. Felipão repetiu os outros 10 titulares do clássico, mas sacou Luan para a entrada de Adriano. A julgar pelo desempenho do atacante nos primeiros 45 minutos, o treinador deve ter se arrependido. Mas, pelo que ocorreu na etapa final, com quatro gols do camisa 19, certamente se satisfez.

Apenas na primeira etapa, Adriano perdeu quatro ocasiões claras de gol. Foi o retrato de um Palmeiras com boa movimentação e sedento em marcar, mas que esbarrou na pontaria ruim e na competência do Comercial em se defender. Por conta da mudança no time, Felipão também trocou o sistema de jogo palmeirense. O seu habitual 4-2-3-1 se transformou num tradicional 4-4-2, com dois volantes, dois meias (Tinga pela direita e Valdívia pela esquerda) e dois atacantes. Os adversários piauienses se defenderam com uma linha de quatro defensores, três homens de marcação e apenas o meia Isael encostando em Zé Rodrigues e Tony, os mais adiantados.

Em 45 minutos, o Palmeiras teve 19 finalizações contra apenas uma do Comercial, que ficou preso na defesa e se segurou como pode. De cara, com 10 segundos, uma jogada ensaiada do ataque palmeirense assustou, e Kleber repentinamente apareceu de frente para o gol, mas errou o alvo. Aos 6min, Tinga tabelou com Valdivia, que recebeu bonito passe e quase fez - no rebote, Adriano perdeu. Em seguida, Marcos Assunção bateu escanteio e novamente Adriano, livre na pequena área, escorou para fora.

Sob o ritmo da bola parada de Assunção, o Palmeiras tentou mais duas vezes: na primeira, Neto defendeu, e a segunda passaria perigosamente por cima. Aos 24min, Adriano perderia outro gol: em linda arrancada, Cicinho foi até a linha de fundo e passou para o Michael Jackson, que errou o alvo bem marcado. No minuto seguinte, os palmeirenses, que se cansavam de perder gol, também perderam Kleber. Com dores na coxa, ele deixou o campo lesionado para a entrada de Luan.

A coisa só não ficou realmente pior para o Palmeiras graças a um erro da arbitragem. Em bola enfiada, Zé Rodrigues apareceu livre diante de Deola e fez o gol com facilidade. A condição do atacante do Comercial era legal, com poucos centímetros atrás da linha de defesa, mas Márcio Chagas da Silva, do Rio Grande do Sul, anulou. No último terço da primeira etapa, ainda houve tempo para o Palmeiras perder mais três gols. Adriano recebeu de Luan em boas condições na grande área, mas perdeu. Depois, Danilo acertou a travessão de fora da área, e Luan também desperdiçou no fim dos 45min.

O Palmeiras voltou do intervalo atrás do gol que lhe daria total tranquilidade para seguir na Copa do Brasil, mas não foi tão fácil. No reinício, Adriano recebeu em velocidade e, dentro da grande área, foi desarmado por Rafael - a arbitragem assinalou pênalti e expulsou o zagueiro. Valdivia teve o gol a sua frente, mas o goleiro Neto foi buscar a cobrança. Aos 11min, após boa jogada de Luan pela direita, Adriano subiu livre de cabeça na entrada da grande área, mas errou o alvo novamente.

Depois de expulsar Rafael, Márcio Chagas da Silva também mandou o meia Evandro para o chuveiro na sequencia. O juiz, porém, cometeu uma trapalhada, e só deu amarelo para o jogador. Então, foi advertido por Rodrigo Braghetto, o quarto árbitro, e aí sim expulsou. Contra nove adversários, o Palmeiras teve muitos espaços, deslanchou e Adriano "Michael Jackson" fez história, marcando quatro gols.

O primeiro, aos 16min: na base da raça, o Palmeiras entrou na área tocando e dividindo, e Adriano só tocou na saída do goleiro Neto. Logo depois, aos 20min, Marcos Assunção bateu falta da direita, e mais uma vez o "Michael Jackson" marcou, agora de cabeça. Mesmo com nove jogadores, o Comercial conseguiu seu gol de honra: livre na grande área, Binha recebeu diante de Deola e não perdoou.

O placar e o desempenho do Palmeiras irritavam os poucos mais de três mil torcedores que foram ao Pacaembu, mas os jogadores do time da casa resolveram forçar o ritmo. Então, o terceiro gol de Adriano saiu com 32min: Patrik cruzou da direita e o camisa 19 fez. Não perca a conta: aos 34min, adivinha quem marcou? Em bola que veio da esquerda, Adriano de novo usou a cabeça e ampliou.

Depois de Patrik perder boa oportunidade, o Palmeiras fez o quinto, e por pouco não foi de Adriano. Em bola tocada em profundidade, o camisa 19 chutou e, no rebote de Neto, Gabriel Silva ampliou aos 37min. O "Michael Jackson" ainda ficaria muito perto de anotar cinco gols, mas terminou mesmo com quatro. Aos 40min, ele foi lançado e marcou em condições legais - em novo erro da arbitragem, o gol seria anulado.

Palmeiras 5 x 1 Comercial-PI

Gols

Palmeiras:
Adriano, aos 16min, 20min, 32min e 34min do segundo tempo; Gabriel Silva, aos 38min do segundo tempo
Comercial-PI:
Binha, aos 25min do segundo tempo

Palmeiras: Deola; Cicinho (Patrik), Danilo, Thiago Heleno e Gabriel Silva; Márcio Araújo; Tinga e Marcos Assunção (Chico); Valdivia; Kleber (Luan) e Adriano.
Treinador: Luiz Felipe Scolari

Comercial-PI: Neto; Barata, Júnior Soares, Rafael e Tiaguinho; Ivanzinho, Fred, Evandro e Isael (Binha); Toni (Paulinho Castelo) e Zé Rodrigues (Bezerra)
Treinador: Aníbal Lemos

Cartões amarelos
Palmeiras: Cicinho, Marcos Assunção, Danilo e Thiago Heleno
Comercial-PI: Evandro, Isael e Junior Soares

Cartões vermelhos
Comercial-PI: Rafael e Evandro

Árbitro
Márcio Chagas da Silva (RS)

Renda e público
R$ 134,461,00 / 3.509 pagantes

Local
Pacaembu, São Paulo (SP)



Fonte: Terra
publicidade