2 eventos ao vivo
Logo do Copa do Brasil
Foto: terra

Copa do Brasil

Prass não fala de ofertas de outros times e exalta seu físico para renovar

20 ago 2015
16h12
  • separator
  • 0
  • comentários

Com contrato até 31 de dezembro, Fernando Prass já está livre para acertar com outro clube e sair de graça no final do ano. Mas o goleiro se recusa a dizer até se foi ou não procurado por outra equipe. Na expectativa de renovar com o Palmeiras o quanto antes, ressalta que os 37 anos de idade estão longe de ser um empecilho na negociação.

“O que menos me preocupa na carreira é a parte física. Estou 100%, não fiquei fora de nenhum treino neste ano. Todo jogador está sujeito a lesão por pancada, dividida, torção, mas, em termos de desgaste ou lesão crônica, estou muito tranquilo. Por isso, tenho uma vontade muito grande de permanecer no Palmeiras, e a diretoria também mostrou essa vontade”, comemorou.

No Verdão desde dezembro de 2012, o goleiro teve lesões graves por trauma na clavícula, em 2013, e operou o cotovelo direito no ano passado. Sua regularidade em campo, frequentemente marcada por grandes defesas, desperta interesse de outros clubes, apesar da idade avançada. Mas Prass prefere não confirmar nem desmentir qualquer sondagem.

“Se eu disser que fui procurado ou não, posso estar mentindo. O mercado usa muito isso, mas procuro ser correto para poder cobrar também essa postura das pessoas. Se alguém de outro do clube, do Palmeiras ou qualquer vazar alguma situação, é responsabilidade dele. Mas, por mim, ninguém ficará sabendo. Não vou me posicionar a respeito disso porque seria para me valorizar ou pressionar o Palmeiras”, avisou, otimista.

“É impossível afinidade total em duas reuniões, mas, em termos de ideia e valores também, seguimos uma linha bem parecida. Só precisa sumir essas diferenças para renovarmos e, com tempo e outras conversas, espero que isso aconteça o quanto antes. Não são diferenças que vão impedir a renovação. Não há certeza de nada, mas as chances de ficar são bem maiores do que de não ficar”, ressaltou, pedindo pressa na definição.

“Não tem prazo, mas a minha preocupação é definir logo. Daqui a pouco, aparece que o Palmeiras contratou fulano ou ciclano ou que o Prass acertou com algum clube, e isso gera um ambiente de intranquilidade, acabam canalizando energias para coisas que não são as mais importantes. Precisamos nos preocupar com o time, melhorar o nosso desempenho, subir na tabela, e isso tira um pouco o foco das coisas”, analisou.

De qualquer forma, Prass já está na história do Palmeiras. Nessa quarta-feira, diante do Cruzeiro, realizou seu 131º jogo pelo clube, igualando-se a Nascimento (arqueiro na histórica goleada por 8 a 0 sobre o Corinthians, em 1933, e no tricampeonato paulista de 1932 a 1934) como décimo goleiro com mais partidas na história do Verdão.

“É supergratificante chegar à lista dos dez que mais atuaram em um clube de quase 101 anos, famoso por grandes goleiros. Vejo na frente lendas como Marcos, Leão, Oberdan, Velloso, Sérgio, Valdir Joaquim de Moraes. É para se levar em consideração”, comemorou Prass, que está a três jogos de ultrapassar Jurandyr na nona colocação. O goleiro com mais partidas pelo Palmeiras é Emerson Leão, com 618.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade