1 evento ao vivo

Alemanha se diz mais forte para vingar derrota na Euro 2008

7 jul 2010
09h37
atualizado às 09h43
Fábio de Mello Castanho
Direto de Durban

Dois anos depois da final da Eurocopa vencida pela Espanha, a Alemanha entrará em campo nesta quarta-feira, às 15h30 (de Brasília), em Durban, com desejo de vingança pela semifinal da Copa do Mundo da África do Sul.

E para concretizar o plano, os alemães dizem ter um time mais forte do que em 2008. Naquela ocasião, o técnico Joachim Löw ainda estava no processo inicial de montagem da seleção para a Copa e o time pagava pela irregularidade, além de não contar com jogadores presentes hoje.

"No torneio de 2008 não tínhamos esta constância. Havia altos e baixos. Hoje podemos utilizar enormes possibilidades de jogadores. Esta equipe tem demonstrado um fluxo de jogo superior ao de 2008. Temos muita energia e agora dominamos as partidas. Na técnica de jogo somos melhores do que em 2008", disse o treinador.

Em comparação ao time que iniciou aquela partida, a Alemanha contará com cinco diferenças nesta quarta. O goleiro Neuer, o zagueiro Boateng, os meio-campistas Khedira e Özil e o atacante Cacau (que substitui Thomas Müller, também ausente naquela oportunidade) são as peças da renovação.

Dentro de campo, a Alemanha também tem apresentado uma maior segurança. Apesar da derrota para a Sérvia na primeira fase, o time alemão mostrou regularidade e brilho nas goleadas sobre as tradicionais Inglaterra e Argentina. E um futebol mais envolvente do que o de dois anos atrás.

Vale lembrar que a final da Eurocopa foi equilibrada e decidida com um gol de Fernando Torres aos 34min do primeiro tempo. "Está claro que quando chegamos na final só pensamos em uma vitória. É uma lembrança dolorosa e hoje temos a possibilidade de dar o troco", disse Podolski.

Regularidade espanhola

Ao contrário da Alemanha, a Espanha chega para a revanche sem muitas diferenças em relação a 2008. A base da seleção campeã europeia foi mantida nestes dois anos e a maior mudança ocorreu no comando técnico, que passou das mãos de Luis Aragonés para Vicente Del Bosque.

"Seguimos um caminho já iniciado pelos técnicos anteriores. Tentamos não romper com o passado e buscamos pequenas melhorias", disse Del Bosque.

"Acredito que não há muito diferença do que era em 2008 e do que é agora. Talvez não estejamos tão regulares como em 2008", complementou o técnico.

Do time que entrará em campo nesta quarta, as novidades em relação a 2008 são a ausência de Marcos Senna e a presença de Piqué na zaga. Nas demais posições, apenas mudanças táticas entre jogadores presentes tanto no grupo campeão em 2008 quanto no da atual Copa.

"A Espanha é muito parecida a de 2008. É a equipe mais regular dos últimos anos", analisou o técnico alemão Joachim Löw, que já decorou cada detalhe do adversário. "Temos de tirar os espanhóis do ritmo. Eles estão acostumados a atacar bem e não será fácil bloqueá-los. Teremos que aproveitar os contra-ataques e fazê-los correrem de volta para recompor o meio-campo".

Comparação na escalação das equipes:

Alemanha

2008: Lehmann; Friedrich, Mertesacker, Metzelder e Lahm (Jansen); Frings, Hitzlsperger (Kuranyi), Schweinsteiger, Ballack e Podolski; Klose (Goméz).
2010: Neuer; Lahm, Mertesacker, Friedrich e Boateng; Khedira, Schweinsteiger, Özil e Podolski; Klose e Cacau (Trochowski).

Espanha

2008: Casillas; Sergio Ramos, Puyol, Marchena e Capdevilla; Marcos Senna, Iniesta, Xavi e Fábregas (Xabi Alonso); David Silva (Cazorla) e Fernando Torres (Daniel Güiza).
2010: Casillas; Sergio Ramos, Piqué, Puyol e Capdevila; Busquets, Xabi Alonso, Iniesta e Xavi; David Villa e Fernando Torres (Fábregas ou David Silva).

Copa 2010 no celular

Notícias, fotos, classificação, tabelas, artilheiros, estatísticas e curiosidades também estão no celular.
Acompanhe o minuto a minuto de todos os jogos do Mundial e escolha os melhores em campo.
Acesse: m.terra.com.br/copa
Baixe o aplicativo: m.terra.com.br/appcopa

Alemães tristes logo após a derrota para a Espanha, em 2008; agora, chance de revanche é real
Alemães tristes logo após a derrota para a Espanha, em 2008; agora, chance de revanche é real
Foto: Getty Images
Fonte: Terra
publicidade