0

Confira os tabus que a Espanha precisa quebrar para ser campeã

29 jun 2010
13h36
atualizado às 22h07
Diego Garcia
Murilo Borges

Tradicional seleção europeia e uma das indicadas ao título na África do Sul, a Espanha inicia nesta terça-feira, às 15h30 (de Brasília), contra Portugal, sua trajetória na fase final do Mundial de 2010. Se quiser quebrar a escrita de sempre morrer na praia e se sagrar campeão, o país precisa quebrar alguns tabus que assombram o cobiçado sonho de levantar a taça pela primeira vez.

Em caso de nova derrota, pode mais uma vez dar um adeus decepcionante ao mais importante torneio de futebol do planeta. O filme é familiar aos espanhóis, que sempre entram na competição entre os candidatos ao troféu e acabam decepcionando no meio do caminho.

Por isso, o Terra preparou uma lista com oito motivos que podem impedir a Espanha de vencer o Mundial da África do Sul.

Confira abaixo a relação:

Não tem tradição fora do continente - bicampeã da Eurocopa (1964 e 2008), a equipe ibérica nunca ganhou uma competição importante fora de seu continente. Em Copas do Mundo, a melhor campanha foi o quarto lugar em 1950, quando foi goleada por 6 a 1 pelo Brasil. Favorita na Copa das Confederações de 2009 e invicta havia 35 jogos, sucumbiu diante dos Estados Unidos e amargou a terceira colocação.

Azar em Mundiais - Copa do Mundo parece não ser a praia do time espanhol, principalmente nos últimos anos. Em 1994, um gol de Roberto Baggio aos 43min do segundo tempo garantiu a vitória italiana nas quartas de final. Quatro anos depois, foi eliminado ainda na primeira fase, contando com um "frango histórico" de Zubizarreta na derrota de virada para a Nigéria por 3 a 2. No Mundial da Ásia, teve dois gols anulados nas quartas contra a anfitriã Coreia do Sul e caiu nos pênaltis. Por fim, em 2006, manteve os 100% de aproveitamento na primeira fase, mas perdeu para a França, de Zidane, logo nas oitavas.

Nunca um time europeu venceu uma Copa fora do continente - com nove títulos mundiais, as seleções da Europa ainda não sabem o que é vencer um Mundial fora de suas divisas. Este mérito pertence apenas a um país: o Brasil, campeão na Europa (1958), América (1962, 1970 e 1994) e Ásia (2002).

O favorito não costuma se sair bem em Mundiais - parece praga dos adversários, mas a equipe apontada por todos como favorita não sai campeã desde 1970. Na ocasião, o Brasil de Pelé, Gérson, Tostão e Rivelino venceu a Jules Rimet e conquistou a taça de forma definitiva. Nos últimos 40 anos, os favoritos só se deram mal: Brasil e Holanda (1974); Alemanha, Holanda e Itália (1978); Brasil e França (1982 e 1986), Argentina e Itália (1990); Alemanha e Itália (1994); Brasil (1998); Argentina e França (2002); e Brasil (2006).

Perdeu o jogo de estreia - jamais, em 80 anos de Mundiais, uma seleção perdeu a partida inaugural da campanha e ergueu a taça ao término do torneio. Todos os campeões das 19 edições venceram seus embates iniciais, com exceção da Inglaterra, em 1966 (empate sem gols com o Uruguai), e da Itália, em 1982 (0 a 0 com a Polônia). A Espanha, em 2010, foi surpreendentemente derrotada pela Suíça por 1 a 0.

Apenas uma vez o campeão continental também foi mundial - além da Alemanha (campeã da Europa em 1972 e mundial em 74), nunca o país que triunfou no próprio continente venceu a Copa do Mundo seguinte, contabilizando Copas Américas e Eurocopas. A Espanha foi uma das seleções que já viveu esse tabu, em 1966, após vencer o torneio continental dois anos antes. Com um grande time liderado por Gento, a equipe ibérica caiu ainda na primeira fase após perder duas vezes por 2 a 1, para Argentina e Alemanha, e vencer a Suíça pelo mesmo placar.

Não vence um campeão mundial desde 1950 - a Espanha não vence, em Copas, nenhum dos sete países que já foram campeões do mundo desde 1950, quando Zarra marcou o gol da vitória por 1 a 0 sobre a Inglaterra. Além disso, é um verdadeiro freguês dessas seleções nesse torneio, com nove derrotas, seis empates e apenas duas vitorias. A outra foi sobre o Brasil (3 a 1), em confronto válido pela Copa do Mundo de 1934.

Maldição dos 100% de aproveitamento - a seleção ibérica e a Holanda foram as únicas europeias a se classificar vencendo todas as partidas das Eliminatórias. Os espanhóis conseguiram a vaga com 10 triunfos - sobre Bósnia, Armênia, Estônia, Bélgica e Turquia -, além de 28 gols marcados e apenas cinco sofridos. Na história, nunca uma seleção do Velho Continente se saiu campeã após vencer todos os jogos de classificação para o torneio.

Copa 2010 no celular

Notícias, fotos, classificação, tabelas, artilheiros, estatísticas e curiosidades também estão no celular.
Acompanhe o minuto a minuto de todos os jogos do Mundial e escolha os melhores em campo.
Acesse: m.terra.com.br/copa
Baixe o aplicativo: m.terra.com.br/appcopa



Zubizarreta leva um "frango" e a seleção cai na primeira fase em 98; o velho azar espanhol em Copas
Zubizarreta leva um "frango" e a seleção cai na primeira fase em 98; o velho azar espanhol em Copas
Foto: AP
Fonte: Especial para Terra

compartilhe

publicidade
publicidade