1 evento ao vivo

Dunga é "bobão" igual a todo mundo, diz Cafu

25 mai 2010
07h40
atualizado às 08h42
Elaine Felchacka
Direto de Curitiba

Cafu, capitão do pentacampeonato, disse que o técnico Dunga é um "bobão", igual a qualquer outra pessoa. Durante evento em Curitiba, o ex-jogador minimizou a postura séria - as vezes até mal humorada - do ex-colega de Seleção. Nos bastidores, segundo ele, o capitão do tetracampeonato e hoje treinador do Brasil é "mais relax".

"O Dunga é igual a gente, bobão, amigo, que conta piadas. É divertido como todo mundo. Um exemplo era o Felipão (técnico campeão em 2002) que todo mundo achava durão, que não brincava. Mas não tem dessa, todo mundo brinca", garantiu Cafu.

Ex-capitão da Seleção na última conquista brasileira de uma Copa do Mundo, em 2002, Cafu defende o amigo e diz que a imagem de durão é reflexo da maneira séria de trabalhar do treinador e que ele sempre foi assim quando o assunto é futebol.

"O Dunga de hoje é o que vocês conheceram em 1990, 1994. Ele é o mesmo, não mudou. Todo mundo tem seu lado mais relax e é normal, mas no local de trabalho ele é muito exigente, quer ver resultados e cobra profissionalismo dos atletas e da imprensa", explicou Cafu, fazendo questão de reforçar as declarações de que ele é uma pessoa menos fechada.

"Fora das quatro linhas é um cara bacana, igual a todos nós com nossos defeitos e virtudes, mas no trabalho só verão um cara sério mesmo", acrescentou.

Cafu defendeu ainda a convocação do amigo. Avaliou que Dunga não precisa levar outros atacantes além de Robinho, Luis Fabiano, Grafite e Nilmar. "São quatro atacantes e não precisa mais que isso. Se outras seleções convocaram seis, sete é problema delas. Quatro é suficiente. Você ainda tem duas posições de troca em um jogo que pode fazer três substituições", disse.

Com experiência de quatro Copas do Mundo (1994, 1998, 2002 e 2006), Cafu não arrisca a falar que o atual grupo selecionado para disputar o Mundial da África do Sul tem futebol arte, mas aposta nas conquistas das Copas América e das Confederações e na boa campanha nas Eliminatórias para acreditar que o Brasil chegará ao hexacampeonato.

"Não saberia responder (se vai ser campeão). O Brasil tem condições e tem tudo para ser campeão. Independente da Seleção que vai é uma Seleção respeitada mundialmente. Se vai jogar futebol arte (para falar) só quando começar para saber disso", destacou.

O ex-capitão, que eternizou sua imagem na galeria dos campeões mundiais em 2002 ao levantar a taça na Copa do Japão e da Coréia do Sul, é cauteloso ao falar em sugestões para facilitar o caminho da Seleção Brasileira até o hexacampeonato.

Mesmo com a experiência de duas conquistas e duas eliminações em mundiais, Cafu prefere aguardar as primeiras partidas para analisar friamente o elenco escolhido por Dunga. "Não sei o que fazer de diferente para conquistar o hexa. Tem muitos jogos ainda. Todo bom exemplo é para ser seguido. E é muito fácil (falar em) tirar lição de uma Seleção que acabou não vencendo", questiona o ex-lateral.

Defensor de Dunga, pelos títulos conquistados desde que assumiu a Seleção, Cafu é realista e faz um alerta que tudo terá sido em vão se o Brasil não chegar ao título. "É uma ótima Seleção, é uma Seleção brilhante, mas é uma Seleção que vai ganhar a Copa do Mundo? Não sabemos, vamos esperar a Copa começar para saber o resultado. E toda seleção que perde é uma seleção perdedora e infelizmente não tem como fugir disso".

Cafu disputou quatro Copas e alcançou três finais
Cafu disputou quatro Copas e alcançou três finais
Foto: Elaine Felchacka / Especial para Terra
Fonte: Especial para Terra
publicidade