4 eventos ao vivo

Dunga pede desculpas a torcida e diz que quer apenas trabalhar

24 jun 2010
13h50
atualizado às 15h53
Allen Chahad
Direto de Durban

O técnico Dunga pediu desculpas pelo seu comportamento na entrevista após a vitória sobre a Costa do Marfim, no último domingo, pela segunda rodada da Copa do Mundo da África do Sul. O comandante da Seleção Brasileira disse nesta quinta-feira, véspera do encontro com Portugal, que só quer liberdade para poder fazer seu trabalho tranquilo.

Na ocasião, Dunga interrompeu a entrevista pós-jogo para discutir com o jornalista Alex Escobar, da Rede Globo. Visivelmente nervoso, chegou a murmurar palavrões na sala de entrevistas do Estádio Soccer City. No mesmo dia, a emissora de televisão retrucou no programa Fantástico, dizendo que a postura não era apropriada para o cargo que Dunga ocupa.

Na véspera do jogo contra Portugal, com fala mansa, o treinador da Seleção disse: "vou falar uma única vez sobre esse assunto. Quero pedir desculpas ao torcedor brasileiro pela indevida forma como eu me comportei. Porque o torcedor que sempre tem me apoiado na Seleção Brasileira não tem nada a ver com os meus problemas pessoais. Ou com uma ou outra situação. E eu como brasileiro, como todo torcedor, só quero trabalhar. Só quero que me deixem trabalhar. Então eu peço desculpas ao torcedor brasileiro que não tem que saber de algumas coisas ou ouvir algum desabafo meu. Só tem que torcer pela Seleção Brasileira, ser feliz com o que a Seleção Brasileira faz. Só quero fazer o meu trabalho".

Ao final da entrevista, Dunga ainda falou em tom de desabafo quando perguntado sobre o seu sentimento diante do atual estado de saúde de seu pai, que sofre do Mal de Alzheimer. Ficou emocionado e por pouco não chegou às lágrimas.

"Quanto ao problema do meu pai, não é a primeira vez que ele está nesta situação desde que assumi a Seleção Brasileira. Para mim é só mais uma oportunidade de poder mostrar para o meu pai tudo o que ele me ensinou. Homem para ser homem tem que ter coerência, tem que ter dignidade, tem que ter transparência... E saber pedir desculpas quando erra", disse.

"Outra é minha mãe. Mais do que sofrer ao lado do meu pai, me deu o maior exemplo de que o que estão fazendo com o filho dela não se faz com um ser humano nenhum. Ela me ensinou não largar nunca nada, levar até o final. Fizeram chacota de mim quando falei que ela é professora de história e a história já demonstrou que temos que ter amor ao país. E temos que ser patriotas. Por mais que não gostemos, temos que ser patriotas", completou.

Já classificado para as oitavas de final antecipadamente depois de vencer Coreia do Norte e Costa do Marfim, a Seleção Brasileira enfrenta Portugal nesta sexta-feira, às 11h (de Brasília), em Durban.

Antes da entrevista, Dunga no treino da Seleção Brasileira em Durban
Antes da entrevista, Dunga no treino da Seleção Brasileira em Durban
Foto: Reinaldo Marques / Terra
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade