PUBLICIDADE

Expulso, Felipe Melo pede desculpas e diz estar arrasado

2 jul 2010 14h22
| atualizado às 22h36
Publicidade
Allen Chahad
Renato Pazikas
Direto de Port Elizabeth

Felipe Melo fazia uma boa Copa do Mundo. Um dos jogadores mais questionados do elenco da Seleção Brasileira, o volante tinha até a chance de sair como herói depois de uma bela assistência para o gol de Robinho nesta sexta-feira, contra a Holanda, pelas quartas de final. Mas foi tudo, ou quase tudo, por água abaixo. Com certeza seu nome será bem lembrado na história do futebol brasileiro pelo segundo tempo desastroso, no qual, além de ter feito um gol contra, foi expulso depois que o time levou a virada e praticamente sepultou qualquer chance de reação.

Após a derrota por 2 a 1 no estadio Nelson Mandela Bay, em Port Elizabeth, Felipe Melo pediu desculpas ao torcedor brasileiro. "Queria até pedir desculpas ao torcedor brasileiro porque realmente o objetivo era ser campeão mundial", disse.

"Eu sei da minha responsabilidade e tenho a humildade de assumir meu erro. É um grupo... É minha primeira derrota, uma derrota realmente dolorosa. Tenho minha vida a seguir. Assim como milhões de brasileiros eu estou muito triste, arrasado. Infelizmente aconteceu", completou.

Felipe Melo levou vermelho direto do árbitro Yuichi Nishimura, do Japão, ao entrar com violência sobre Argen Robben, um dos destaques da Holanda na partida. "A expulsão... Na verdade eu vi a bola, a bola estava em cima dele, eu acabei pisando. Como homem eu assumo minha responsabilidade e minha parcela de culpa dentro do grupo. É um momento difícil e de tristeza".

Embora admita sua parcela de culpa pela derrota brasileira, o jogador da Juventus reclamou do juiz. "A expulsão dói muito, mas vi entradas mais duras durante o jogo que não foram punidas desta forma. E não dei soco na cara de ninguém. Ele deu um carrinho e eu acertei ele. Tenho força suficiente para quebrar a perna dele, mas não fui para isso", afirmou.

No lance do gol de empate, Felipe Melo trombou com o goleiro Júlio César após um cruzamento de Sneijder. A bola ainda tocou na cabeça do volante, que marcou contra. Ele não teve explicação após o jogo.

"O mais doloroso da derrota é saber que no primeiro tempo o Brasil foi muito superir. Tivemos a oportunidade não só do primeiro gol, mas de fazer dois ou três a zero. O primeiro gol... É até difícil explicar o primeiro gol deles. O segundo gol uma raspada no primeiro pau, acabou que o Sneijder pequenininho fazendo o gol", declarou.

Muito abatido, mas sem fugir das perguntas, o jogador da Juventus foi o penúltimo a deixar a área de entrevistas do estádio, poucos segundos antes do companheiro Daniel Alves.

"São 43 dias lutando, sem pedir folga, focado num só objetivo. Acho que jamais a Seleção vai ter um grupo como esse, tão unido, tão amigo. Independente de qualquer coisa, somos seres humanos, somos homens, temos famílias e vamos seguir", disse o volante.

"Prometi aos meus filhos voltar com título. Não tem muita coisa a dizer.Não fui vilão. É um grupo e cada um tem sua parcela de culpa. Realmente foi em um momento difícil, estava perdendo por 2 a 1. Mais do que ninguém queríamos vencer, é o sonho de todo jogador", completou.

Copa 2010 no celular

Notícias, fotos, classificação, tabelas, artilheiros, estatísticas e curiosidades também estão no celular.
Acompanhe o minuto a minuto de todos os jogos do Mundial e escolha os melhores em campo.
Acesse: m.terra.com.br/copa
Baixe o aplicativo: m.terra.com.br/appcopa

Holanda 2 x 1 Brasil: Veja animação dos gols em 3D:
Fonte: Terra
Publicidade