PUBLICIDADE

"Minha Copa do Mundo é a Libertadores", diz Rogério Ceni

13 mai 2010 10h40
| atualizado às 10h44
Publicidade

Integrante da Seleção Brasileira nas duas últimas Copas do Mundo, Rogério Ceni pediu, após a vitória por 2 a 0 sobre o Cruzeiro, na quarta-feira, que deixem o técnico Dunga em paz com sua convocação. Apesar de defender o treinador, o goleiro afirmou que torcerá pela Seleção no Mundial, mas que sua verdadeira prioridade já está em andamento: a Libertadores.

"Vou ser sincero, não sou muito ligado em Seleção. Meu ganha pão se chama São Paulo, minha Copa do Mundo é a Libertadores e meu coração tem três cores: vermelho, preto e branco. Tenho simpatia, torço pela Seleção, mas minha Copa é essa", declarou o capitão da equipe tricolor.

Em 2002, ao lado de Dida e do titular Marcos, o ídolo do São Paulo participou do grupo pentacampeão, comandado por Luiz Felipe Scolari, com quem Rogério até hoje mantém boa relação. Em 2006, reserva imediato de Dida, Ceni se tornou o primeiro goleiro reserva do Brasil a entrar em campo em uma Copa do Mundo. Na partida contra o Japão, Carlos Alberto Parreira, resolveu homenagear sua carreira e o colocou no segundo tempo.

Desta vez, o goleiro nem sequer teve esperança de fazer parte do grupo. Sua missão foi parabenizar o amigo Gomes, convocado pela primeira vez, e lamentar a ausência de Victor, do Grêmio. "O Gomes foi comigo para um amistoso na Rússia, em 2006, em que jogamos com 17 graus negativos. Tenho um carinho muito grande por ele e liguei para dar parabéns. E o próprio Victor ter ficado fora é uma pena, ele teria condições de estar lá", afirmou.

Satisfeito com a vitória no Estádio do Mineirão, que deixou o São Paulo próximo da vaga na semifinal da Libertadores, Rogério Ceni também comemorou a presença de cinco ex-companheiros na lista de Dunga: Josué, Júlio Baptista, Kaká, Grafite e Luís Fabiano. Mesmo sem relações pessoais com o comandante da Seleção, ao contrário por exemplo de Ricardo Gomes, parceiro de Dunga no início dos anos 90, o goleiro pediu que o deixem trabalhar em paz.

"As pessoas têm de dar credibilidade aos caras que ele convocou. Não importa se Neymar e Ganso não vão. Não vão agora, mas irão na próxima. Não tenho nada contra o Dunga e nem a favor, não temos relacionamento algum, mas quem vai responder pelo resultado é ele. Deixem o homem trabalhar", brincou Ceni.

Apesar de torcer pela Seleção, Rogério Ceni diz que sua prioridade é a Libertadores
Apesar de torcer pela Seleção, Rogério Ceni diz que sua prioridade é a Libertadores
Foto: Marino Azevedo/Vipcomm / Divulgação
Fonte: Lancepress!
Publicidade