Futebol

publicidade
28 de maio de 2010 • 15h06 • atualizado às 16h31

Na Nigéria, técnico argentino dá dicas a Maradona

Seleção nigeriana já esteve no grupo da Argentina em 2002
Foto: AFP
 

Rodolfo Zapata concedeu nesta sexta-feira uma entrevista ao site do jornal argentino Olé. O ex-goleiro que atuou por clubes da divisão de acesso do futebol argentino, e como treinador teve passagens por clubes de colégios nos Estados Unidos, e atualmente treina o Sunshine Stars da Nigéria. O técnico resaltou quais são as características da seleção africana.

A primeira partida da Nigéria no Mundial será justamente contra o seu país de origem. O treinador disse que a partida de estreia na competição sempre gera muito nervosismo, mas acredita em uma pressão maior do lado da equipe de Diego Maradona, por toda a tradição do país na competição.

Ele destacou o compromisso que a equipe nigeriana deve ter com o país, que segundo ele é apaixonado pelo futebol. Diferenciou que o jogar bonito dos africanos nem sempre significa jogar bem, e deixou claro a falta de comprometimento com esquemas táticos por parte das seleções africanas. E a grande deficiência de jogar sem a bola. Como ponto forte ressaltou a forma física e a individualidade dos nigerianos, que podem desequilibrar a favor da seleção africana.

Zapata acrescentou que o jogador africano tem fome de jogar, e sair da situação de pobreza em que vive. E o grande desejo é de jogar na Europa. Concluiu que eles trabalham duro para alcançar esse objetivo.

No encerramento da entrevista, disse que gostaria de ver a Argentina e a Nigéria na final da Copa, mas sabe que é um sonho impossível de se concretizar.

Argentina e Nigéria estão no Grupo B ao lado de Grécia e Coreia do Sul.

Terra