0

Goiás vira, vai à final e acaba com o sonho de Libertadores do Palmeiras

24 nov 2010
23h43
atualizado em 25/11/2010 às 01h00

No ano em que foi rebaixado, o Goiás conseguiu um feito memorável para animar sua torcida. Nesta quarta-feira, a equipe do Centro-Oeste foi ao Pacaembu e derrotou o Palmeiras por 2 a 1 de virada, conseguindo sua classificação à final da Copa Sul-Americana. Ao time paulista, que apostou todas as fichas da temporada no torneio da Conmebol, fica a tristeza da eliminação. E o Goiás tem dois jogos para conquistar uma vaga na Copa Libertadores de 2011.

Durante o primeiro tempo, o Palmeiras dominou a partida, contando com grande atuação de Tinga. Luan abriu o placar e, ao fim da etapa, Carlos Alberto descontou. O empate fez com que o Goiás voltasse do intervalo com outra moral, jogando com afinco e buscando a virada em pleno Pacaembu.

Na final, o Goiás enfrenta o vencedor do duelo entre Independiente e LDU. No primeiro jogo, em Quito, a equipe da casa ganhou por 3 a 2, após estar vencendo por 3 a 0 e permitir a reação argentina. O confronto decisivo ocorre nesta quinta-feira, às 22h30, em Avellaneda, na casa do Independiente.

Ainda sem Valdivia, que busca se recuperar de problemas musculares antes do fim da temporada, o técnico Luiz Felipe Scolari não inovou na escalação desta quarta. O mesmo time que entrou em campo em Goiânia apareceu na equipe titular no Pacaembu. No Goiás, a única alteração em relação ao primeiro jogo foi a entrada de Otacílio Neto no ataque no lugar de Felipe.

O jogo

O jogo começou animado e equilibrado, com muita marcação no meio de campo. Aos 6min, Danilo conseguiu a primeira boa chance ao arrancar na intermediária e chutar com perigo ao gol de Harlei. Seis minutos depois, o Palmeiras ficou perto do gol com chute de Tinga que acertou a trave goiana.

Com o passar dos minutos, a equipe da casa passou a ditar o ritmo da partida e ameaçar mais a defesa adversária, mas esbarrava em Harlei. A resposta do Goiás saiu somente aos 21min. Rafael Moura arriscou chute forte da intermediária e explodiu o travessão de Deola. Jogando no erro palmeirense, o time visitante ameaçou novamente aos 27min, em chute de Otacílio Neto defendido pelo goleiro alviverde.

Fazendo boa partida, o Palmeiras tinha em Tinga seu principal jogador. O meio-campista, porém, não participou do gol que abriu o placar. Aos 33min, Edinho deu passe espetacular para Luan, que finalizou forte e cruzado. Harlei aceitou a finalização e o chute entrou no canto esquerdo do gol.

Com o jogo dominado, a torcida do Palmeiras aumentou sua festa no Pacaembu, provocando o Goiás com gritos de "segunda divisão". Mas a animação da torcida sofreu um golpe aos 46min. Marcelo Costa cobrou falta e acertou o travessão. Na sequência, Carlos Alberto completou de cabeça após a bola ser lançada na área e contou com desvio em Tinga para empatar.

Virada goiana

Animado com o gol, o Goiás voltou a campo com o atacante Felipe no lugar do ala direito Douglas, deixando o time mais ofensivo. E o time precisou de quatro minutos para fazer Deola trabalhar, contando com cabeçada de Amaral depois de cobrança de lateral. Os visitantes mudaram o panorama do jogo depois do intervalo, mantendo a bola em seu campo de ataque.

Após os primeiros minutos, o Palmeiras acordou e passou a dar trabalho ao time goiano usando a bola aérea. O jogo ganhou novo equilíbrio, mas os ataques não conseguiam finalizar em gol. Aos 24min, Marcos Assunção foi derrubado na entrada da área, mas a arbitragem mandou o lance seguir pois o Palmeiras teve a vantagem. Tinga, porém, teve sua finalização travada pela defesa.

Aos 30min, o time paulista teve boa chance em chute de Kleber, mas a bola passou à esquerda do gol de Deola. A resposta do Goiás foi com um gol. Aos 36min, Marcão caiu pela ponta esquerda e cruzou na área. Rafael Moura tocou de cabeça e Ernando completou para o fundo das redes.

Nos minutos finais, o Goiás passou a uma postura completamente defensiva. A torcida manteve seu apoio, mas não via o Palmeiras criar boas chances de gol. Ao fim, veio a tristeza da eliminação jogando em São Paulo.

FICHA TÉCNICA

Palmeiras 1 x 2 Goiás

Gols
Palmeiras:

Luan, aos 33min do 1º tempo
Goiás: Carlos Alberto, aos 46min do 1º tempo, e Ernando, aos 36min do 2º tempo

Ponto Forte do Palmeiras
Tinga teve grande atuação no primeiro tempo, comandando o bom momento do Palmeiras no jogo.

Ponto Forte do Goiás
A equipe entrou no segundo tempo focada em conseguir a vitória. Jogou com raça e buscou sua virada perto do fim do jogo.

Pontos Fracos do Palmeiras
Não soube lidar com o susto de tomar o gol de empate. Depois do intervalo, a equipe voltou desequilibrada e permitiu a virada do Goiás.

Sem Valdivia, Lincoln deveria assumir o papel de criador. Porém, o meia esteve nulo, pouco fazendo para ajudar a equipe.

Ponto Fraco do Goiás
No primeiro tempo, o time demorou a se encontrar, deixando o Palmeiras dominar o jogo.

Personagem do jogo
Rafael Moura: o atacante desta vez não marcou, mas comandou o time na virada em pleno Pacaembu.

Esquema Tático do Palmeiras
4-4-2
Deola; Márcio Araújo, Maurício Ramos, Danilo e Gabriel Silva; Edinho, Marcos Assunção, Tinga (Ewerthon) e Lincoln (Dinei). Técnico: Luiz Felipe Scolari

Esquema Tático do Goiás
3-5-2
Harlei; Rafael Tolói, Ernando e Marcão; Douglas (Felipe), Amaral, Carlos Alberto, Marcelo Costa e Wellington Saci; Otacílio Neto (Jonílson) e Rafael Moura. Técnico: Artur Neto

Cartões amarelos
Goiás: Marcão e Douglas

Árbitro
Heber Roberto Lopes (PR)

Local
Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)

Carlos Alberto e Ernando comemoram vitória do Goiás em pleno Pacaembu
Carlos Alberto e Ernando comemoram vitória do Goiás em pleno Pacaembu
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra
Fonte: Redação Terra
publicidade