Copa Sul-Americana

publicidade
25 de outubro de 2012 • 08h00

Goleiro "baixinho" e com uniforme improvisado segura São Paulo

Palacios foi um dos grandes responsáveis pelo placar sem gols no Morumbi
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra
 
José Edgar de Matos
Direto de São Paulo

Esqueça o jogo com poucas emoções. Uma das principais atrações do insosso empate por 0 a 0 entre São Paulo e LDU de Loja, que garantiu ao time brasileiro a passagem às quartas de final da Copa Sul-Americana, foi o goleiro Guillermo Palacios. Na partida realizada no Estádio do Morumbi, o jogador, de apenas 1,72 m - altura incomum para um atleta da posição -, atuou com uma camisa completamente diferente a do time equatoriano: sem símbolo do clube e com outro fornecedor.

Um centímetro mais baixo que o famoso mexicano Jorge Campos, goleiro "baixinho" mais famoso dos últimos tempos, Palacios teve papel fundamental para segurar o São Paulo no Estádio do Morumbi. O prenúncio de goleada, especialmente por conta da comparação entre os dois elencos, parou em uma defesa fechada e uma atuação eficiente do goleiro, que, inclusive, se arriscou em salvar algumas jogadas aéreas da equipe de Ney Franco.

Titular desde o empate da última sexta-feira contra a LDU (a mais famosa, campeã da Copa Libertadores em 2008, após vitória nos pênaltis contra o Fluminense, em pleno Maracanã), Palacios chamou a atenção da reportagem pela baixa estatura e o uniforme diferente.

A prática, inimaginável para o futebol nos tempos em que o patrocínio é tão valorizado, não é incomum dentro da própria equipe e no futebol equatoriano. O improviso, contudo, chama a atenção, já que o fornecedor da camisa vestida por Palacios difere do restante do time. O escudo da LDU de Loja sequer estava estampado no uniforme do camisa 22.

Não foi a primeira vez que um goleiro do clube de Loja apresentou-se dessa maneira. No até então principal compromisso do time na competição, a inovação no uniforme chegou a níveis extremos. Na segunda fase contra o Nacional, do Uruguai, José Alvarado, então titular, atuou com uma camisa falsa do Arsenal, da Inglaterra - com direito ao patrocínio do time inglês, em letras garrafais, que ocupavam grande parte do tórax da vestimenta.

Terra Terra