Boletim
Receba todas as novidades por email

 Fale conosco
Envie suas sugestões ao canal

 
Copa 2006
Sexta, 16 de junho de 2006, 16h41 
Decepcionado com Brasil, Cruyff elogia Copa
 
 Últimas de Copa 2006
» Ausência de Tevez incomoda torcedores argentinos
» De folga com hora marcada, jogadores vão a campo de golfe
» Estádio da decisão da Copa fica pronto para jogo inaugural
» Preterido, Ronaldinho tem portas abertas na Seleção
Busca
Busque outras notícias no Terra:
Finalista das Copas do Mundo de 1974 a 1978, o ex-jogador holandês, Johan Cruyff, se disse impressionado com as partidas do Mundial da Alemanha. Decepcionado com a estréia do Brasil, ele gostou do futebol ofensivo de algumas seleções.

"O nível está bom, às vezes muito bom. Vários times estão jogando muito mais ofensivamente do que era esperado. Itália, Espanha e Gana realmente me seduziram. Por outro lado, estou um pouco decepcionado com o desempenho do Brasil. Foi desordenado, o time mostrou muito pouco", criticou.

Nas vitórias dos donos da casa sobre Costa Rica e Polônia, ele percebeu os traços tradicionais do futebol alemão. "Eles nem sempre jogam com eficiência, mas é legal de assistir. É bom para o torneio", afirmou.

Johan Cruyff aposta suas fichas na seleção do técnico Marco van Basten. "O primeiro (1 a 0 contra a Sérvia) jogo foi muito bom e eu acho que o time vai melhorar cada vez mas. A mídia falou muito de Arjen Robben, mas fiquei especialmente impressionado com o trabalho da defesa".

O ex-jogador gostou da frieza mostrada pelos jogadores mais inexperientes. "John Heitinga, Andre Ooijer e Joris Mathijsen nunca jogaram um grande campeonato, mas eles passaram uma impressão de maturidade", declarou.

Assim como Van Basten, Cruyff acredita no atacante Ruud van Nistelrooy, ainda apagado na Copa do Mundo. O ex-jogador elogiou bastante o trabalho do atual técnico, que conseguiu harmonizar o clima entre os jogadores.

"Está evidente que a relação está boa. A atmosfera parece excelente e isso é muito positivo", declarou. Van Basten renovou a seleção, deixando medalhões como Edgar Davids e Clarence Seedorf de fora do time.

 

Redação Terra