Boletim
Receba todas as novidades por email

 Fale conosco
Envie suas sugestões ao canal

 
Argentina
Sábado, 1 de julho de 2006, 04h34 
"Morremos de pé", resume imprensa argentina
 
Reprodução
Capa do jornal argentino Olé denota orgulho pela participação da seleção da Argentina na Copa
Capa do jornal argentino Olé denota orgulho pela participação da seleção da Argentina na Copa
 Últimas de Argentina
» Pendurado, Messi pode desfalcar Argentina contra Brasil
» "Morremos de pé", resume imprensa argentina
Busca
Busque outras notícias no Terra:
Uma idéia se fez presente na imprensa argentina na manhã deste sábado: "morremos de pé", "um adeus com a melhor imagem", "sobrou dignidade futebolística". Os jornais do país, sempre marcados por sua paixão pelo esporte, demonstraram orgulho pela participação do time de Pekerman na Copa 2006.

Veja fotos do jogo
Confira a tabela da fase final
Opine: o que você achou da partida?
Baixe ilustrações da Copa do Mundo para seu telefone celular

A Argentina foi eliminada invicta do Mundial, após empatar com a Alemanha por 1 a 1 e perder nos pênaltis por 4 a 2, em uma das quartas-de-final de ontem. Antes disto, o time se classificou em primeiro no Grupo C, e anotou a histórica goleada por 6 a 0 sobre Sérvia e Montenegro no último dia 16. Nas bolsas de apostas, o time vinha crescendo cada vez mais, ultrapassou equipes como a da Inglaterra, e estava em segundo lugar, atrás do Brasil.

"Mas, deixamos escapar...", resume o diário Clarín, que destaca que a Argentina levou os donos da casa, Alemanha, às cordas, "pero" lhe faltou decisão no jogo e audácia nas mudanças para não precisar passar pelos pênaltis.

O compatriota Olé divide a mesma opinião e diz que "sofremos todos. Fomos melhores, mas nos faltaram decisão e audácia", literalmente, os mesmos verbos usados por aquele jornal.

No jogo, a Argentina teve mais chances de gol, mas não conseguiu converter as oportunidades criadas. Além disso, o treinador tirou Riquelme e colocou Cambiasso após a Argentina abrir o placar, e a seleção perdeu em criatividade no meio-de-campo. Outra crítica que os jornais fazem referência foi o mal aproveitamento de sua maior revelação.

"Por que Messi jogou tão pouco?", disparou o Olé.

Os jornais argentinos não deram muita repercussão para a reação do ex-jogador Diego Armando Maradona. Em Berlim, de acordo com a France Presse, ele não esteve nas arquibancadas do Olympiastadion em sinal de protesto.

Também não dando muita atenção ao incidente com o maior craque da história da Argentina, o La Nación destaca em sua manchete: "corações partidos" e coloca em seu texto que a tristeza dominou as almas argentinas.

O La Razon aponta o fato de ter de esperar por mais quatro anos e diz que "estávamos tão perto". A próxima Copa acontece na África do Sul.

Para concluir, na mesma linha do jargão da imprensa mundial ao se referir ao Brasil como "deu samba", o Olé coloca: "Não chores por mim, Argentina".
 

Redação Terra