Boletim
Receba todas as novidades por email

 Fale conosco
Envie suas sugestões ao canal

 
Copa 2006
Sábado, 6 de maio de 2006, 17h58  Atualizada às 17h55
Fifa ameniza lei contra logotipo na Copa do Mundo
 
 Últimas de Copa 2006
» Ausência de Tevez incomoda torcedores argentinos
» De folga com hora marcada, jogadores vão a campo de golfe
» Estádio da decisão da Copa fica pronto para jogo inaugural
» Preterido, Ronaldinho tem portas abertas na Seleção
Busca
Busque outras notícias no Terra:
A Federação Internacional de Futebol (Fifa), que pretendia fazer uma "marcação implacável" junto às empresas pelo uso de seus logotipos durante o Mundial de Futebol da Alemanha 2006, foi obrigada a recuar em alguns casos, como o dos chocolates Ferrero.

No final do mês de abril, a Fifa, que reivindicava direitos exclusivos sobre a tudo que se referisse ao Mundial 2006 para ela própria e seus patrocinadores, sofreu uma série de derrotas na justiça alemã.

O Tribunal de Grande Instância (Superior) de Hamburgo (norte) considerou, em 26 de abril último, que o grupo alemão chocolateiro Ferrero podia usar o slogan "Nossa equipe de futebol da Alemanha 2006", em uma campanha publicitária.

Segundo o Tribunal, o slogan dos fabricantes se refere ao torneio e não aos organizadores, por isso podem usá-lo sem necessidade de contar com uma permissão da Fifa e, principalmente, sem pagar um centavo.

Por sua vez, a Corte Federal de Justiça confirmou a decisão tomada em setembro pela agência alemã de patentes, que anulou os direitos de exclusividade da Fifa sobre duas marcas "WM Deutschland" e "Fussball WM Deutschland" ("Copa do mundo de futebol da Alemanha").

Mas em outros casos, as negociações foram feitas a portas fechadas, como no caso da cerveja, que opunha o fabricante americano Anheuser-Busch, patrocinador oficial do Mundial, com o alemão Bitburger. As discussões não foram realizadas nos tribunais, mas diretamente entre os representantes das empresas, a portas fechadas.

Anheuser-Busch, que fabrica a cerveja Budweiser (ou Bud como se lhe conhece no mundo inteiro), é dos 15 patrocinadores oficiais do Mundial 2006, que desembolsou 45 milhões de euros para ser o único fornecedor de cerveja nos estádios.

Porém Bitburger, patrocinadora oficial da Federação Alemã de Futebol (DFB), se sente prejudicada por sua exclusão dos estados e reivindica o restabelecimento de um velho acordo entre ambas, que proíbe os americanos usarem a marca Bud na Alemanha, por estar muito próxima da célebre Bit germana.

Os dois grupos, após uma mediação dos organizadores da Copa do Mundo, chegaram a um acordo, para satisfação dos torcedores alemães, que poderão degustar a cerveja tipicamente germana mais encorpada que a suave norte-americana que, curiosamente, foi lançada nos Estados Unidos em 1876 por dois maestros cervejeiros bávaros.

Outro acordo amistoso foi logrado pelos organizadores do Salão de Turismo de Berlim (ITB), um dos maiores do mundo, que fizeram compreender que não podiam deixar a Copa do Mundo fora de seus "stands" e folhetos publicitários em 2006.

A Fifa também conseguiu chegar a um acordo com a Associação Mundial de Periódicos (AMP), ao recuar de sua decisão de permitir a publicação nos jornais da internet apenas cinco fotos de cada tempo, imediatamente depois do término de cada jogo.

Em meados de março, a Fifa e a AMP, esta última representada na ocasião por um forte grupo de jornais e agências de notícias (AFP, AP, Reuters, Getty Images, DPA e EPA), chegaram a um acordo e foram levantadas todas as restrições às fotos na Internet.


 

AFP

Todos os direitos de reprodução e representação reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.