Boletim
Receba todas as novidades por email

 Fale conosco
Envie suas sugestões ao canal

 
Seleções
Domingo, 21 de maio de 2006, 19h14  Atualizada às 23h25
Com discurso humilde, Seleção embarca para a Suíça
 
Marcelo Pereira/Terra
Robinho conversa com jornalistas no embarque da Seleção em Guarulhos
Robinho conversa com jornalistas no embarque da Seleção em Guarulhos
Últimas de Brasil
» A investidores, Lula diz que Seleção daria prejuízo
» Juan: 'Roberto Carlos não errou no gol de Henry'
» Ronaldo pode ter licença de motorista cassada
» Cirurgia afasta Ronaldo por um mês dos campos
» Todas as notícias de Brasil
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

Os jogares da Seleção Brasileira que embarcaram rumo à Suíça do aeroporto internacional de Guarulhos defenderam a humildade para combater o clima de já ganhou que envolve a equipe, considerada favorita para a Copa do Mundo de 2006.

Veja reportagem em vídeo
Veja fotos

Cicinho, Cris, Luizão, Roberto Carlos, Robinho e Rogério Ceni pegaram o vôo rumo ao Rio de Janeiro. Lá, os atletas encontrarão o restante da delegação, incluindo o técnico Carlos Alberto Parreira, o coordenador-técnico Mario Jorge Lobo Zagallo e o meia Ricardinho, do Corinthians.

Todos foram unânimes no discurso de que o "favoritismo precisa ser confirmado dentro de campo".

"Nunca vi uma Seleção sair do Brasil com tanto favoritismo. Isso porque essa é uma Seleção do povo, não teve grandes contestações ou jogadores pedidos pelos torcedores", afirmou o chefe da delegação, Marco Polo Del Nero dirigente, que completou. "Mas vai ter que demonstrar o favoritismo em campo".

O zagueiro Cris concordam com o discurso de Del Nero. Para Cris, o Brasil terá que tomar cuidado com a França.

"Eles têm o Henry, o segundo melhor atacante do mundo. Passaram por uma reformulação. Tem jogadores jovens muito bons e ainda juntaram a experiência de jogadores como Zidane" afirmou Cris, que colocou mais duas equipes entre as favoritas para conquistar a Copa.

"A Alemanha por jogar em casa e depois a Inglaterra por também ter feito uma renovoção", concluiu o campeão francês com o Lyon.

Rogério Ceni, que muitos gostariam de ver como titular da Seleção, aproveitou para enfatizar o discurso de grupo.

"Não estou preocupado se vou ou não jogar. O trabalho depende do grupo e estou indo fazer minha parte, ajudar", afirmou o goleiro do São Paulo.

Já no Rio de Janeiro, o meia-atacante Ronaldinho mostrou-se despreocupado com a grande responsabilidade atribuída a ele na Copa.

"É normal, mas a responsabilidade é de todos, pois todos os jogadores são importantes. Tenho alegria por fazer parte desse grupo e espero estar bem preparado para a Copa".

O meia Ricardinho afirmou que a experiência pode ajudar na Copa do Mundo.

"Apesar de termos um grupo jovem, o time é experiente. Quase todos os jogadores jogam em grandes clubes da Europa e isso é quase que o mesmo que jogar a Copa do Mundo. A maioria não deve ter problema com a pressão".

O goleiro Julio Cesar, da Internazionale, era um dos jogadores mais alegres no embarque. Caminhando para sua primeira Copa, o goleiro explicou a opção de vir ao Brasil em vez de ficar direto na Europa.

"Quis vir para o Rio pra sentir calor da torcida. Queria sair com festa, uma motivação a mais", explicou o goleiro.

Sabendo que usará a camisa 22 na Copa da Alemanha, o goleiro não mostrou preocupação com a suposta posição de terceiro goleiro.

"Não foi passado nada sobre o time. Mas pelo critério do Parreira, o goleiro mais novo acaba sendo a terceira opção", conformou-se.

Mesmo consciente de que Roberto Carlos é o titular da lateral esquerda da Seleção Brasileira, Gilberto espera ter oportunidade de jogar.

"Sei que irá jogar o Roberto Carlos. Mas estou bem preparado para, caso o Parreira precise, eu poder entrar. Estou com a cabeça tranqüila para treinar bastante e estar pronto", disse.

Estreante em Copas do Mundo, o atacante Adriano, da Inter de Milão, confessou estar ansioso por disputar a competição.

"Estou nervoso, parece um sonho. Sempre quis disputar uma Copa do Mundo e quero realizar esse desejo conquistando o título", disse o atacante.

O coordenador-técnico da Seleção Brasileira, Zagallo, seguiu para a Suíça com a imagem de Santo Antônio nas mãos. "Precisamos de sorte e fé para conquistarmos o hexa na Alemanha", afirmou.

A previsão para a chegada da delegação da Seleção Brasileira a Weggis, na Suíça, nesta segunda-feira, é por volta de 10h (de Brasília).

Com Lancepress
 

Redação Terra