Boletim
Receba todas as novidades por email

 Fale conosco
Envie suas sugestões ao canal

 
Seleções
Segunda, 12 de junho de 2006, 20h38 
França enfrenta Suíça para recuperar moral
 
Últimas de França
» Ribéry recebe homenagem de cidade natal
» Chirac diz que ato de Zidane foi "compreensível"
» Zidane estava nervoso e fora provocado, diz Buffon
» Materazzi explica incidente na sede da Fifa
» Todas as notícias de França
» Todas as notícias de Suíça
» Todas as notícias de Coréia do Sul
» Todas as notícias de Togo
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

Conseguir vencer um rival europeu no primeiro jogo de um Mundial depois de 68 anos e recuperar o moral após o fiasco na última Copa. Estes são os objetivos da França que estréia na Alemanha diante da Suíça às 13h (horário de Brasília) desta terça-feira, em Stuttgart.

Brasil estréia contra peso do favoritismo na Alemanha
Terra oferece cobertura dos jogos de terça-feira

O último triunfo francês sobre um adversário do mesmo continente em uma estréia de Copa do Mundo aconteceu em 1938, quando a seleção bateu a Bélgica por 3 a 1 dentro de casa. Desde o terceiro Mundial da história, a França acumula quatro derrotas diante de adversários europeus em estréias de Copa.

Então campeã do mundo, a França foi a maior decepção da última edição do Mundial. A seleção de Zinedine Zidane, que faz sua despedida na Alemanha, voltou para casa sem fazer um mísero gol em 2002. Depois de cair diante de Senegal, a equipe empatou com o Uruguai e fracassou diante da Dinamarca.

Apesar do oponente de pouca expressão, os franceses treinam forte para evitar qualquer surpresa na Alemanha. "A Suíça pertence a essa classe de equipe que pode surpreender, e não queremos que isso aconteça. Já estivemos em situações semelhantes e não vamos deixar que isso se repita", assegurou Claude Makelele.

O tropeço de 2002, aliado a eliminação diante da Grécia na Eurocopa de 2004, diminuiu o respeito das outras seleções em relação à França. "Somos capazes de enfrentar os maiores da Europa e queremos mostrar ao mundo que crescemos", disse o zagueiro suíço, Ludovic Magnin.

A maior novidade preparada pelo técnico Raymond Domenech para a partida é a presença do meia Franck Ribery no time titular. Pela primeira vez entre os 11 na seleção, ele compõe o meio ao lado de Zidane. Desta forma, Henry joga isolado no ataque.

Coréia do Sul e Togo fazem o jogo de abertura do Grupo G às 10h (de Brasília), em Frankfurt. Quarto colocado no último Mundial, o time asiático sonha em repetir e peformance na Alemanha. O técnico holandês Dick Advocaat teme o forte calor da região, onde a temperatura pode chegar aos 36ºC.

Em sua primeira participação em uma Copa, Togo já conseguiu provocar muita polêmica. O técnico alemão Otto Pfister chegou a abandonar o elenco a quatro dias da estréia, em razão da briga entre jogadores e dirigentes em torno da premiação pela campanha no Mundial. No entanto, o treinador voltou atrás e já se reintegrou à delegação.


 

Redação Terra