Boletim
Receba todas as novidades por email

 Fale conosco
Envie suas sugestões ao canal

 
Seleções
Sexta, 7 de julho de 2006, 10h42 
Português perdeu prêmio por encenação, diz Matthaus
 
Últimas de Portugal
» Felipão rejeita Brasil e fica em Portugal até Euro 2008
» Monaco quer volante português Maniche
» Valencia demonstra interesse por Cristiano Ronaldo
» Governo português nega isenção de impostos aos atletas
» Todas as notícias de Portugal
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

O ex-capitão da Alemanha, Lothar Matthaus, afirmou nesta sexta-feira que a atitude de tentar ludibriar os árbitros, nas partidas contra Inglaterra e França, fez o atacante Cristiano Ronaldo perder o prêmio de "Melhor Jogador Jovem" da Copa 2006.

Podolski é escolhido a revelação da Copa do Mundo Opine: você concorda com o prêmio dado a Lukas Podolski?

Na partida contra a Inglaterra, o jogador português teria simulado uma agressão do atacante Wayne Rooney contra ele, que custou a expulsão do inglês. Já no jogo com os franceses, Cristiano Ronaldo caiu na área, pedindo a marcação de um pênalti.

"Você nunca encontrará um jogador que tenha 100% de 'fair play' e talvez olhando para Cristiano Ronaldo podemos perceber isso. Ele deve ter acumulado alguns pontos negativos no seu gesto contra o Rooney. Às vezes você acaba esquecendo das leis durante o calor do jogo", afirmou Matthaus, que é o responsável pelo prêmio.

Apesar de ser eleito pelos internautas como a revelação do Mundial da Alemanha, o atacante do Manchester United ficou em segundo lugar na escolha do Grupo Técnico da Fifa, que deu o prêmio ao alemão Lukas Podolski.

Apesar de criticar o jogador português, Matthaus pede que a mídia e os torcedores tenham paciência com Cristiano Ronaldo.

"Dêem aos jovens jogadores um tempo, uma chance. Relembrem Diego Maradona, que marcou um gol com a 'Mão de Deus'. Definitivamente não foi um 'fair play' e há vários exemplos como este que podemos citar", destacou.

O chefe do Grupo Técnico da Fifa afirmou que o quesito "fair-play" pesou na decisão dos especialistas. "Nós queremos um comportamento decente dos jogadores e eu admito que fomos críticos com relação a isso".

Além de Podolski e Cristiano Ronaldo, estavam na disputa pelo prêmio outros quatro finalistas: o argentino Lionel Messo, o equatoriano Luis Valencia, o suíço Tranquillo Barnetta e o espanhol Cesc Fábregas.
 

Redação Terra