Boletim
Receba todas as novidades por email

 Fale conosco
Envie suas sugestões ao canal

 
Seleções
Domingo, 9 de julho de 2006, 18h08 
Nos pênaltis, França perde final para a Itália
 
Allen Chahad
Sérgio Loredo
Wanderley Nogueira
Direto de Berlim
 
AP
Materazzi comemora o gol de empate da Itália contra a França
Materazzi comemora o gol de empate da Itália contra a França
Últimas de França
» Ribéry recebe homenagem de cidade natal
» Chirac diz que ato de Zidane foi "compreensível"
» Zidane estava nervoso e fora provocado, diz Buffon
» Materazzi explica incidente na sede da Fifa
» Todas as notícias de França
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

Pela segunda vez na história, a Copa do Mundo foi decidida em uma disputa por pênaltis. Neste domingo, em Berlim, a Itália venceu sua primeira série de tiros da marca penal e superou a França por 5 a 3, após empate por 1 a 1 ao longo dos 120 minutos de bola rolando.

Veja fotos do jogo
Opine: o que você achou da partida?
Baixe ilustrações da Copa do Mundo para seu telefone celular

Como em 1982, a seleção italiana chegou ao Mundial abalada por um escândalo de manipulação de resultados e alcançou o título. A conquista foi a quarta da equipe azul, que havia vencido também em 1934 e 1938.

A partida foi a última da carreira do francês Zinedine Zidane, que fez boa partida e marcou o gol de seu time, em cobrança de pênalti. No tempo extra, no entanto, o camisa 10 agrediu Marco Materazzi com uma cabeçada e viu sua vitoriosa história no futebol ser encerrada com um cartão vermelho.

A França começou melhor o jogo e abriu o placar logo aos 6min, em pênalti cometido por Materazzi em Malouda. Ousado, Zidane bateu por baixo da bola e a viu tocar o travessão antes de pingar dentro do gol e sair. A rede não foi balançada, mas o placar passou a apontar 1 a 0.

O empate dos italianos, que haviam começado o jogo assustados, veio aos 19min. Pirlo cobrou escanteio da direita, e Materazzi subiu mais que Vieira e cabeceou para empatar. Durante o restante do primeiro tempo, o time que vestia azul foi superior e chegou a acertar o travessão de Barthez.

Após o intervalo, no entanto, o panorama foi alterado, e os franceses voltaram dispostos a passar à frente no marcador. Aos 8min, Malouda sofreu pênalti de Zambrotta, mas Horácio Elizondo preferiu não apontar o centro da área novamente.

Marcelo Lippi tentou corrigir os problemas da Itália trocando Totti e Perrotta por Iaquinta e De Rossi. Mais tarde, colocou Del Piero no lugar de Camoranesi. Raymond Domenech, por sua vez, substituiu apenas o contundido Vieira, e o placar não voltou a ser mexido até o fim dos 90 minutos regulamentares.

A igualdade persistiu na prorrogação, e a decisão foi mesmo para os pênaltis. Herói da conquista da Eurocopa de 2000, justamente contra a Itália, David Trezeguet acertou o travessão de Buffon. Todos os atletas escalados por Lippi converteram seus tiros e deram o título mundial ao time que vestia azul.

O jogo

O primeiro lance da partida foi um susto para os franceses. Logo a 1min, Henry trombou com Cannavaro no meio-campo e foi ao chão. O atacante chegou a ficar tonto por alguns minutos, mas voltou ao gramado para ajudar sua equipe.

Aos 6min, ele brigou pelo alto na esquerda e cabeceou para frente. A bola caiu nos pés de Malouda, que invadiu a área e caiu ao ser tocado por Materazzi. Ousado, Zidane bateu o pênalti por baixo da bola e a viu tocar o travessão antes de pingar dentro do gol e sair. Embora a rede não tenha balançado, o placar estava aberto.

A Itália demonstrava nervosismo e dificuldade para frear as chegadas do adversário. Aos 9min, Materazzi tentou cortar cruzamento de Sagnol e jogou do lado de fora da rede de Buffon, que observou assustado.

Aos poucos, os comandados de Marcelo Lippi foram ajustando seu sistema defensivo e passaram a ter o domínio da posse de bola. A melhora do time de azul foi premiada aos 19min, quando Pirlo cobrou escanteio da direita, e Materazzi subiu mais que Vieira para empatar de cabeça.

O gol animou os italianos, que chegaram com perigo em mais dois escanteios da direita. Em um deles, Toni ganhou de Thuram na risca da pequena área e acertou o travessão de Barthez.

Após o intervalo, no entanto, a França voltou a jogar futebol e criar constantes problemas para o adversário em chegadas pelas pontas. Logo aos 30 segundos, Henry passou por três marcadores e bateu fraco. Aos 5min, voltou a invadir a área, rolou para o meio e viu a zaga fazer o corte.

Aos 8min, Malouda recebeu em boa condição para bater e foi atingido por Zambrotta. Desta vez, Horácio Elizondo preferiu não apontar o centro da área e mandou o jogador francês se levantar.

Pouco criativa, a Itália chegava apenas em bolas paradas. Aos 17min, Toni chegou a balançar a rede em cabeçada, mas o lance foi bem anulado pelo assistente, que viu o impedimento do centroavante.

No minuto seguinte, Henry recebeu no mano a mano com Cannavaro. Fintou o melhor zagueiro da Copa e bateu no canto esquerdo de Buffon, que praticou excelente defesa.

Para resolver os problemas de sua equipe, Marcelo Lippi trocou Totti e Perrotta por Iaquinta e De Rossi. Domenech, por sua vez, foi obrigado a substituir o contundido Vieira por Diarra.

A França seguiu com maior organização e perigo nas investidas, mas o ritmo da partida caiu. Ainda durante o tempo regulamentar, Lippi colocou Del Piero no lugar de Camoranesi, mas o empate permaneceu no marcador até o fim dos 90 minutos.

Desempate

As duas equipes demonstraram bastante cansaço e pouca movimentação no tempo extra. Mesmo assim, os franceses estiveram perto do gol aos 9min, quando Ribéry tabelou com Malouda e bateu à esquerda, a um palmo da trave.

Na seqüência, Domenech sacou Ribéry e colocou David Trezeguet, autor do gol do título da Eurocopa de 2000, justamente em cima da Itália. Aos 13min, Zidane abriu para Sagnol na direita e apareceu na área para cabecear e obrigar Buffon a fazer excelente defesa.

Na etapa final, Zidane se desentendeu com Materazzi e deu uma cabeçada no peito do italiano. Por conta disso, teve sua carreira encerrada com um cartão vermelho do argentino Horácio Elizondo.

Mesmo com um a mais, a equipe de Marcelo Lippi não teve força para evitar a disputa por pênaltis. Wiltord, Abidal e Sagnol converteram, mas Trezeguet acertou o travessão de Buffon. Do lado italiano, Pirlo, Materazzi, De Rossi, Del Piero e Grosso converteram e deram o tetracampeonato mundial ao seu país.

Ficha técnica
Itália 1 (5) x 1 (3) França
Equipes
Gianluigi Buffon
Gianluca Zambrotta
Fabio Cannavaro
Marco Materazzi
Fabio Grosso
Mauro Camoranesi
(Alessandro Del Piero)
Andrea Pirlo
Gennaro Gattuso
Simone Perrotta
(Vincenzo Iaquinta)
Francesco Totti
(Daniele De Rossi)
Luca Toni

Técnico:
Marcelo Lippi
Fabien Barthez
Willy Sagnol
Lilian Thuram
William Gallas
Eric Abidal
Claude Makelele
Patrick Vieira
(Alou Diarra)
Frank Ribéry
(David Trezeguet)
Zinedine Zidane
Florent Malouda
Thierry Henry
(Sylvain Wiltord)

Técnico:
Raymond Domenech
Gols
19min - 1º tempo
Marco Materazzi
6min - 1º tempo
Zinedine Zidane
Cartões amarelos
Gianluca Zambrotta Willy Sagnol
Alou Diarra
Florent Malouda
Cartões vermelhos
Zinedine Zidane
Local: Estádio Olímpico, em Berlim
Árbitro: Horácio Elizondo (ARG)
Público: 72.000 espectadores

 

Redação Terra