Boletim
Receba todas as novidades por email

 Fale conosco
Envie suas sugestões ao canal

 
Seleções
Sexta, 14 de julho de 2006, 02h38 
Felipão recusa convite para voltar à Seleção, diz jornal
 
Últimas de Brasil
» A investidores, Lula diz que Seleção daria prejuízo
» Juan: 'Roberto Carlos não errou no gol de Henry'
» Ronaldo pode ter licença de motorista cassada
» Cirurgia afasta Ronaldo por um mês dos campos
» Todas as notícias de Brasil
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

O atual técnico de Portugal, Luiz Felipe Scolari, teria inicialmente aceitado convite do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, para reassumir o comando do time do Brasil - mas, devido a questões familiares, teria mudado de idéia e decidido permanecer na Europa.

Opine: quem deve ser o próximo técnico do Brasil?

De acordo com o jornal O Globo, Teixeira fez o convite a Felipão por telefone no último dia 8, logo após a decisão do terceiro lugar da Copa entre Portugal e Alemanha. O treinador teria se mostrado receptivo à proposta e afirmado que sonhava em retornar à Seleção Brasileira. Teria apenas solicitado um contrato de quatro anos, até o Mundial da África do Sul, para fazer um trabalho de longo prazo.

A assessoria de Felipão confirmou que o técnico decidiu junto com a família permanecer na Europa, mas não acertou ainda se continuará em Portugal. Através de sua assessoria, a CBF também admitiu o contato com o comandante da seleção portuguesa.

Segundo O Globo, Teixeira não apenas aceitou a condição como ofereceu um contrato de oito anos, visando à Copa de 2014, que poderá ser realizada no Brasil. Teria então sido acertada uma reunião entre ambos em Barcelona, Espanha, a ser realizada no próximo domingo.

Porém, dois dias após aceitar o convite, Felipão teria telefonado para Teixeira dizendo que declinaria, alegando que sua mulher teria fechado questão contra um eventual retorno ao Brasil. Teria pesado em favor da permanência a boa adaptação da família à vida em Lisboa e os estudos do filho do treinador, que levariam mais dois anos em solo europeu.

Com isso, Ricardo Teixeira corre contra o tempo para definir o substituto de Carlos Alberto Parreira nos próximos dez dias, já que pretende contar com o novo técnico antes de 1º de agosto, quando serão convocados os jogadores para o amistoso da Seleção contra a Noruega, em Oslo.
 

Redação Terra