Boletim
Receba todas as novidades por email

 Fale conosco
Envie suas sugestões ao canal

 
Seleções
Sexta, 14 de julho de 2006, 09h37 
Após recusa de Felipão, Luxemburgo e Autuori ganham força
 
Rodrigo Viga
Especial para o Terra
 
Últimas de Brasil
» A investidores, Lula diz que Seleção daria prejuízo
» Juan: 'Roberto Carlos não errou no gol de Henry'
» Ronaldo pode ter licença de motorista cassada
» Cirurgia afasta Ronaldo por um mês dos campos
» Todas as notícias de Brasil
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

A CBF queria Luiz Felipe Scolari no comando da Seleção Brasileira em substituição a Carlos Alberto Parreira, porém, com a recusa do atual comandante de Portugal, os nomes de Vanderlei Luxemburgo, hoje no Santos, e Paulo Autuori, no futebol japonês, ganharam força.

Opine: quem deve ser o próximo técnico do Brasil?

Scolari teria aceitado o convite feito por telefone pelo presidente da entidade, Ricardo Teixeira. No entanto, o treinador recuou devido a questões familiares. A família de Felipão está bem estabelecida em Portugal, principalmente os filhos do treinador, que não querem voltar ao Brasil.

Desta forma, Luxemburgo e Autuori aparecem como favoritos. O treinador do Santos, no entanto, carrega contra si muitos problemas extra-campo.

Para completar, ele já comandou a Seleção entre os anos de 1998 e 2000, quando conquistou a Copa América de 1999, mas perdeu os Jogos Olímpicos de Sydney no ano seguinte.

Paulo Autuori também tem experiência em seleções, já que treinou o Peru durante alguns jogos nas últimas Eliminatórias. Além disso, ele é o atual campeão do mundo de clubes (título conquistado em dezembro passado, com o São Paulo).

Quem corre por fora para substituir Parreira, que ainda ocupa o cargo de técnico da Seleção, é o ex-jogador Dunga. Ele tem bom relacionamento com o presidente Ricardo Teixeira desde a Copa de 1994, nos Estados Unidos.

No entanto, Dunga, capitão do tetracampeonato, não tem experiência no cargo, uma vez que nunca comandou times ou seleções.

Especula-se que o ex-jogador pode ganhar uma vaga na nova comissão técnica, talvez em substituição a Zagallo.

O atual coordenador técnico, no entanto, já anunciou que pretende continuar no cargo.
 

Redação Terra