6 eventos ao vivo

Cristiano Ronaldo 'levita' e salva Real Madrid diante do Manchester United

13 fev 2013
19h37
atualizado às 19h38

A capacidade física de Cristiano Ronaldo foi decisiva para que o Real Madrid não saísse derrotado no primeiro confronto das oitavas de final da Liga dos Campeões, nesta quarta-feira, contra o Manchester United. O português fez, de cabeça, "parando no ar", o gol dos donos da casa no empate por 1 a 1 diante dos Diabos Vermelhos.

A definição da vaga será em Old Trafford, dia 5 de março. Um empate por 0 a 0 serve para o Manchester. O Real precisa empatar fazendo mais de um gol ou, claro, vencer.

A ponta dos dedos de De Gea evitou que o Real Madrid saísse em vantagem logo aos cinco minutos. O goleiro usou toda sua elasticidade para dar um tapinha sutil na finalização - com o pé direito - de Fábio Coentrão. Para desespero da torcida, a bola ainda explodiu na trave.

Passado o susto, os Diabos Vermelhos passaram a atormentar a defesa madrilenha, especialmente explorando o setor esquerdo de ataque. Lá estava Arbeloa, que deu muito espaço. Coitado de Varane, que tinha que cobrir o companheiro.

Em uma jogada por aquele setor, o Manchester conseguiu um escanteio que foi mortal para o Real Madrid. Também, por que cargas d'água o Sérgio Ramos tentou agarrar Welbeck ao invés de saltar para afastar a bola de cabeça? O jovem inglês subiu mais alto e fez seu primeiro gol nesta edição da Liga.

A bela testada no gol do Manchester foi só um aperitivo para o que viria depois. E, claro, que este melhor partiria de Cristiano Ronaldo. Na primeira vez em que alternou de lado com Di María (da esquerda para a direita), o argentino acertou um cruzamento precioso e o português levitou. Sim, parou no ar - tal qual helicóptero, beija-flor e Dadá Maravilha(?). Um show de impulsão, chegando a bater o joelho no ombro de Evra, que tem 1,73m. Bola firme, no canto de De Gea, como manda o manual. Por respeito ao ex-clube, o craque se reservou ao direito de não comemorar. Quem liga? A torcida do Real Madrid não.

O jogo continuou agitado no segundo tempo. Só para citar algumas das diversas chances, se não fosse a agilidade com pé do goleiro espanhol do Manchester, que teve ótima atuação, Coentrão teria desempatado. A bola também passou muito perto das redes madrilenhas. Em uma dessas ocasiões, sorte blanca que Van Persie deu um chute lascado e deu tempo para Xabi Alonso voar de carrinho quase em cima da linha para salvar.

Mourinho esbravejou e fez alterações, Ferguson mascou chiclete com mais rapidez e também mexeu, mas o placar terminou mesmo em 1 a 1. Azar do Real Madrid que beleza nos gols não é critério de desempate.

REAL MADRID 1 X 1 MANCHESTER UNITED

Local: Santiago Bernabéu, em Madrid (ESP)

Data/Hora: 13/2/2013, às 17h45 (de Brasília)

Árbitro: Felix Brych (ALE)

Auxiliares: Mark Borsch (ALE) e Stefan Lupp (ALE)

Cartões amarelos: Rafael, Van Persie (MAN)

Gols: Welbeck, 20'/2ºT (0-1); Cristiano Ronaldo, 30'/2ºT (1-1)

REAL MADRID: Diego López, Arbeloa, Varane, Sergio Ramos e Coentrão; Khedira, Xabi Alonso (Pepe, 37'/2ºT) e Özil; Di María (Modric, 29'/2ºT), Cristiano Ronaldo e Benzema (Higuaín, 15/2ºT). Técnico: José Mourinho

MANCHESTER UNITED: De Gea, Rafael, Evans, Ferdinand e Evra; Carrick, Jones e Kagawa (Giggs, 20'/2ºT); Rooney (Anderson, 39'/2ºT), Welbeck (Valencia, 27'/2ºT) e Van Persie. Técnico: Alex Ferguson

Fonte: Lancepress! Lancepress!
publicidade