0

D'Ale 'chama atenção' e blinda elenco do Inter em discussão sobre mando

16 abr 2013
12h13

Um assunto vem pautando o dia a dia do Internacional em 2013: onde jogar. Com o Beira-Rio fechado para obras, o clube gaúcho acertou uma parceria com o Caxias para uso do Estádio Centenário, em Caxias do Sul. Mas no Campeonato Gaúcho, atuou em seis locais diferentes como mandante. Na última semana, Dátolo e Forlán revelaram preferência por jogar o mais perto que for de Porto Alegre - no caso, Novo Hamburgo. Nesta terça-feira, porém, o capitão D'Alessandro deu o aviso: o grupo não vai manifestar mais a sua opinião de forma pública.

O raciocínio é muito simples: não será o elenco colorado que irá definir onde acontecerão as partidas. A diretoria terá de fazer esta escolha. Os jogadores irão opinar apenas no que diz respeito ao gramado do novo local de partidas. Tanto Centenário quanto Estádio do Vale são elogiados.

- A pergunta é boa porque venho armando essa resposta desde as coletivas do Forlán e Dátolo. É bom esclarecer que a gente não decide. Não é o grupo que decide, isso está claro. Se criou uma coisa, de que a gente vai decidir. A gente opina. Vamos continuar com a blindagem do vestiário. E parte de isso é não externar as coisas que o grupo pensa. Não vamos externar a opinião do grupo. Podemos opinar na questão do gramado. Falaremos que achamos que é melhor. Mas tem a diretoria e um presidente, treinador, que juntos vão decidir onde vamos jogar - alertou o camisa 10 colorado.

Institucionalmente, o Inter até gostaria de atuar em Novo Hamburgo. A resposta dos torcedores foi melhor na cidade a 40km da capital gaúcha do que na Serra, a 120km. O problema é que são necessários no mínimo 15 mil lugares para a disputa de Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro. O Vale tem apenas 5 mil. Na última semana, o Novo Hamburgo, dono do estádio, se reuniu com a prefeitura para acertar melhorias no entorno do local. O aumento da capacidade aconteceria com arquibancadas móveis.

- Tem a questão do grupo, como eu falei, que vamos dar apenas a opinião no vestiário. E tem a questão da torcida que é muito importante. Não adianta opinar e o estádio não lotar. Vamos nos limitar a opinar sobre isso e o presidente, a diretoria e o treinador irão decidir. Somos empregados do clube. Vamos ter que se dedicar ao máximo, viajando ou não. O torcedor também viaja, vai ter que gastar dinheiro para colocar gasolina, que não é barato. Queremos o melhor para todo mundo, para nós, para o torcedor, para o clube. Para que essa organização seja a melhor - finalizou D'Alessandro.

O Internacional ainda espera reabrir o Beira-Rio em setembro, embora a previsão oficial seja em dezembro. O contrato com o Caxias vai até o nono mês do ano e pode ser prorrogado até o final de 2013.

Fonte: Lancepress! Lancepress!
publicidade