0

Destaques da final da Liga dos Campeões

25 mai 2013
19h25
atualizado às 19h32

O holandês Arjen Robben, com uma assistência e um gol, foi o grande destaque do Bayern de Munique na conquista da Liga dos Campeões sobre o Borussia Dortmund, neste sábado em Wembley, acabando com o retrospecto negativo da equipe bávara em finais nos últimos anos.

ROBBEN: Tido como responsável da derrota na 'Champions' do ano passado, quando perdeu um pênalti decisivo contra o Chelsea, o holandês deu a volta por cima. Neste sábado, o meia deu uma assistência para o gol de Mandzukic, aos 15 minutos da segunda etapa, e aproveitou ótimo toque de Ribéry para marcar o gol do título, a um minuto do fim do tempo regulamentar.

RIBÉRY: Robben se destacou, mas deve muito a Ribéry. O francês, marcado por três jogadores do Borussia, achou Robben na entrada da área, e o holandês cruzou para Mandzukic, sozinho debaixo do gol, só empurrar a bola e abrir o placar. Em seguida, Ribéry deu lindo toque de calcanhar para o holandês marcar o segundo gol dos bávaros. 'Kaiser Franck' também foi peça fundamental na proteção do setor defensivo nos momentos de domínio e pressão do Borussia Dortmund, sendo incansável na marcação e chegando até a tirar bolas perigosas da sua própria área.

OS GOLEIROS: Eles foram por muito tempo os homens da partida, principalmente no primeiro tempo. Neuer defendeu bolas perigosas aos 14, 19 e 22 minutos e venceu um duelo cara a cara com Blaszczykowski aos 15. No segundo tempo, acabou sofrendo um gol em cobrança de pênalti. Por sua vez, Weidenfeller também apareceu com grandes defesas, parando Robben duas vezes quando o holandês se encontrou na cara do gol, aos 30 e 43 do primeiro tempo. No segundo tempo, nada pôde fazer nos gols do Bayern.

REUS e GUNDOGAN: Reus se movimentou muito, se encarregou da armação das jogadas do Borussia e foi o homem mais caçado em campo. Ele teve boas oportunidades de gol, mas acabou parando em Neuer. Já Gundogan teve boa atuação, protegendo a defesa e marcando o único gol da equipe de Dortmund em cobrança de pênalti.

MULLER: O meia bávaro, que vinha de ótimas atuações nas semifinais contra o Barcelona, esteve irreconhecível, errando muitos passes e desperdiçando lances de perigo, como na cabeçada para fora aos 37 minutos de jogo e no chute tirado encima da linha por Subotic aos 27 da segunda etapa.

LEWANDOWSKI: O artilheiro do Borussia teve atuação apagada, principalmente depois da expectativa criada sobre ele após a semifinal contra o Real Madrid, quando marcou 4 gols na partida de ida. Em alguns momentos, ele conseguiu se livrar da marcação de Boateng, mas acabou desperdiçando essas oportunidades deixando a bola correr demais ou esbarrando no goleiro Neuer.

OS ZAGUEIROS: Os zagueiros sofreram com as pressões impostas por ambas as equipes, em momentos diferentes da partida. Dante, convocado para defender a seleção brasileira na Copa das Confederações, não mostrou a habitual tranquilidade, chegando até a cometer um pênalti após furar uma bola e acertar um pontapé na barriga de Reus. Boateng, por sua vez, tinha como missão única anular Lewandowski, mas acabou deixando o polonês escapar em algumas ocasiões. Já a dupla do Borrusia, Subotic e Hummels, falhou nos dois gols do Bayern. No primeiro, deixaram Robben sem marcação dentro da área, resultando no gol de Mandzukic. No segundo gol, Hummels deixou Ribéry dominar a bola na entrada da área e tocar para Robben marcar o gol da vitória.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade