PUBLICIDADE

"Devo acertar com a Globo até 5ª", avisa presidente do Palmeiras

28 mar 2011 - 21h20
(atualizado às 21h34)
Compartilhar

O Palmeiras confirmará ainda nesta semana que, na prática, está rompido com o Clube dos 13. De volta ao Brasil após chefiar a delegação da Seleção Brasileira que enfrentou a Escócia, o presidente do clube, Arnaldo Tirone, está próximo de concluir o acordo individual que tem com a Globo.

Arnaldo Tirone deve aceitar receber bem menos que o rival Corinthians
Arnaldo Tirone deve aceitar receber bem menos que o rival Corinthians
Foto: Fernando Borges / Especial para Terra

"Devo acertar na quarta-feira ou quinta-feira os nossos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro com a Globo", informou o dirigente.

Tirone não confirma oficialmente, mas, segundo conselheiros, ele e a maioria dos membros do Conselho de Fiscalização (COF) do clube devem concordar em receber um valor próximo dos R$ 70 milhões anuais para as edições de 2012 a 2015 do Brasileiro - como agrada à CBF, que tem laços com a Globo.

Ao aceitar a oferta da emissora carioca, o Palmeiras, que estava no primeiro grupo da divisão dos valores no Clube dos 13, dirá sim à ideia de receber até R$ 50 milhões a menos que o Corinthians, com quem dividiria a liderança se não rompesse com a associação de clubes - os dirigentes contrários à saída do C13 queriam um valor mais próximo ao do arquirrival.

Luiz Gonzaga Belluzzo, antecessor de Tirone como mandatário do Palmeiras, foi um dos principais aliados políticos da reeleição de Fábio Koff na presidência do Clube dos 13 no ano passado, tanto que faz parte do Conselho de Ética da entidade. Tirone, porém, comprovou também com sua postura na associação que pertence a um grupo contrário a Belluzzo.

O atual presidente palmeirense tem até uma relação próxima com a CBF - presidida por Ricardo Teixeira, principal inimigo político de Koff -, o que Belluzzo nunca teve. Ser convidado para chefiar a delegação que venceu a Escócia no domingo, em Londres, é uma prova da amizade. Andrés Sanchez, mandatário do Corinthians, começou assim a se tornar o maior aliado de Teixeira no País.

Fonte: Gazeta Esportiva
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra