0

Diego Costa faz dois, e Atlético bate Sevilla na Copa do Rei

31 jan 2013
20h55
atualizado às 22h08
  • separator
  • comentários

Num jogo com três gols de pênalti, o Atlético de Madrid saiu em vantagem no confronto de ida pelas semifinais da Copa do Rei ao vencer o Sevilla por 2 a 1 nesta quinta-feira no Estádio Vicente Calderón, na capital espanhola.

Diego Costa foi o destaque no time dos brasileiro Miranda e Filipe Luís
Diego Costa foi o destaque no time dos brasileiro Miranda e Filipe Luís
Foto: AFP

O Atlético teve três brasileiros em campo, dois deles convocados para o amistoso da seleção contra a Inglaterra, na próxima semana: o zagueiro Miranda e o lateral-esquerdo Filipe Luis. Entretanto, o que brilhou foi o atacante Diego Costa de dois gols, incluindo o primeiro do jogo, no começo da segunda etapa. Logo depois Negredo igualou, mas o camisa 19 fez mais um e garantiu o triunfo.

Diego ainda provocou a terceira expulsão do duelo, a segunda no time da cidade de Sevilha. Fernando Navarro o derrubou com uma entrada dura e foi para o vestiário mais cedo.

O resultado em casa permite ao time madrilenho jogar por qualquer empate na volta, marcada para 27 de fevereiro, no estádio Ramón Sánchez Pizjuán. Já o Sevilla precisará vencer por 1 a 0 ou por uma vantagem ainda maior.

A grande ausência no Vicente Calderón foi o centroavante Falcao, maior jogador do Atlético e um dos melhores camisas 9 do mundo na atualidade. Em fase final de recuperação de uma lesão na coxa esquerda, o colombiano foi substituído por Diego Costa, um dos artilheiros da Copa do Rei, com seis bolas na rede, junto com o próprio Negredo.

No Sevilla, o grande problema estava no gol, posição em que o técnico Unai Emery não pôde contar com aquelas que até a semana passada eram suas principais opções. Diego López foi negociado com o Real Madrid, e Palop se machucou. Com isso, quem começou jogando foi o português Beto, contratado às pressas junto ao Braga.

Outras ausências importantes foram o meia alemão Piotr Trochowski e do atacante argentino Diego Perotti. Já o lateral Cicinho, ex-Palmeiras, continua firme na equipe titular.

Exercendo o mando de campo, o Atlético foi para cima do adversário nos primeiros minutos e teve três escanteios em quatro minutos. No entanto, a primeira boa chance foi dos visitantes, aos oito, quando Kondogbia aproveitou sobra de dividida e rolou para Navas. Na hora do chute, Filipe Luis apareceu para cortar.

Os donos da casa mostravam maior intensidade, embora os goleiros trabalhassem pouco. Aos nove e aos 14, Diego Costa chegou com perigo na área, mas em ambas parou em Spahic.

O Betis voltou a incomodar aos 23, quando Rakitic levantou, Courtois falhou e Fazio resvalou de cabeça. A bola ficou viva dentro da área, Spahic também cabeceou e desta vez o goleiro defendeu firme. Na resposta, seis minutos depois, Adrián invadiu a área, fez o corte com estilo e encheu o pé. Beto não segurou e Cicinho afastou de bico providencialmente.

Adrián brilhou mais uma vez aos 38, mas falhou feio na hora do arremate. O camisa 7 dominou com estilo, ganhou de Fazio e, quando poderia tirar a nota 10, pegou muito mal na bola. Logo na saída de jogo após o tiro de meta, Negredo recebeu com espaço e buscou o ângulo de Courtois, que se esticou e desviou em escanteio.

Ainda antes do intervalo, aos 44, Diego Costa errou o gol por centímetros. Mario descolou lindo lançamento rasteiro para o brasileiro, que chutou cruzado de pé esquerdo e tirou tinta da trave.

O segundo tempo começou quente, com dois pênaltis em dez minutos. Spahic cometeu falta infantil dentro da área logo aos dois minutos e foi expulso, deixando o Sevilla em vantagem numérica e no placar momentaneamente. Isso porque Diego Costa cobrou com categoria no canto esquerdo e fez 1 a 0.

Aos dez, contudo, os visitantes conseguiram o empate. Negredo foi acionado na área, tirou do goleiro e ia igualando, mas Godín cortou com o braço. O árbitro marcou a penalidade e deu cartão vermelho direito para o defensor uruguaio. Na cobrança, o próprio Negredo chutou de maneira parecida com a de Diego e igualou.

Passados os gols e as expulsões, o Sevilla ganhou moral e passou a atacar mais. Aos 15 minutos, Kondogbia deixou três adversários na saudade e passou para Rakitic, que soltou a bomba de pé direito e errou o alvo por pouco.

Mas aí um novo pênalti, aos 25 minutos, recolocou os madrilenhos à frente. Navarro se desequilibrou na dividida com Cristian Rodríguez e tocou a bola com a mão. Com categoria, Diego Costa repetiu o cantinho esquerdo e não falhou: 2 a 1.

A partir daí, se viu muito mais entradas duras e empurra-empurra do que jogadas que poderiam originar outro gol. Numa rara exceção, aos 39, Diego Costa partiu em velocidade e foi parado com falta grave por Fernando Navarro, que já tinha cartão e também foi expulso.

O Atlético ainda esboçou uma pequena pressão nos minutos finais, mas não marcou o terceiro. Aos 41, Gabi cobrou falta rente ao travessão; aos 43, o próprio volante levantou da esquerda e Suárez completou de cabeça para fora.

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade