0

Dunga assegura que Neymar não perderá faixa de capitão por gancho

20 jun 2015
12h56
atualizado às 12h57
  • separator
  • 0
  • comentários

Em reprise da Copa do Mundo, o técnico Dunga não poderá contar com Neymar na sequência da Copa América. Sob o comando de Felipão, o camisa 10 não pode atuar por lesão após joelhada de Zúñiga. No entanto, desta vez foi o destempero emocional exibido pelo jogador diante da própria Colômbia que lhe custou quatro jogos de gancho, definido pelo julgamento do Tribunal de Disciplina da Conmebol. Apesar do desfalque de peso, o treinador não quis remoer a situação, garantindo que a comissão técnica não vai punir o atleta por suas atitudes, e tampouco tirar-lhe a faixa de capitão.

"Não podemos ficar lamentando. Lógico que ninguém gosta de ser suspenso e não é por isso que vamos conversar especificamente com esse jogador. Já falamos com todos sobre o futebol e o que representada cada um dentro do grupo. As coisas acontecem no momento certo para podermos corrigi-las. Se cada um cometesse um erro e fosse cortado, nenhum de nós estaria aqui agora. Vamos ter tranquilidade para fazê-los crescer, não achar um culpado", explicou Dunga em coletiva na manhã deste sábado. 

Na derrota para a Colômbia, Neymar levou um cartão amarelo, e após o apito final, perdeu a cabeça e foi expulso por chute de bola em Armero, tentativa de cabeçada em Murillo e xingamentos a Zúñiga. O jogador também teria ofendido o árbitro Enrique Osses no túnel de acesso aos vestiários e recebeu multa de 10 mil dólares (cerca de R$ 30 mil). A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) tem até a noite deste sábado para recorrer a decisão, mas Dunga já trabalhou com Philippe Coutinho no lugar do camisa 10.

O comandante rebateu as especulações acerca de prejuízo intencional ao Brasil por parte dos adversários e preferiu deixar as questões extracampos de lado, focando apenas no duelo decisivo com a Venezuela, neste domingo, em Santiago. Líder do grupo C, a formação verde-amarela soma os mesmo três pontos dos colombianos, venezuelanos e peruanos.  

"Vamos deixar esse assunto para o setor jurídico da CBF. Eles vão fazer o contraponto no caso do Neymar. Não queremos nada a nosso favor e nada contra nós, queremos apenas julgamentos iguais para todos na competição. Nosso foco é o jogo de amanhã, precisamos realizar o melhor trabalho possível e encontrar soluções para nossa equipe. Minha única preocpuação é vencer a Venezuela", assegurou.

Tachado de arrogante e mimado pela imprensa chilena, Neymar foi defendido por Dunga, que comparou o craque a Pelé e Maradona e rasgou elogios ao atleta, afirmando que "só os melhores" são alvos de crítica.

"Ouço que futebol não tem mais drible, arte ou plástica, e quando o cara fala, é arrogante. O que queremos? Precisamos definir. Se os outros batem no Neymar, nós não vamos bater. Vão bater no que temos de melhor. Todo mundo batia no Pelé e no Maradrona. Os adversário vão tentar nos desequilibrar atacando o que temos de melhor", defendeu.  

Dunga admitiu que a ausência do craque altera as características da formação, mas vê na punição uma oportunidade de colocar jogadores menos experientes para atuar. 

"Em uma equipe em formação, vale muito a experiência anterior. Precisamos ver pelo lado bom. Vamos dar experiência a esses jogadores mais novos. Vamos passar as instruções para esses jogadores mais novos e incorpar uma Seleção pronta para disputar as eliminatórias da Copa América", explanou o comandante, que manteve o mistério acerca do nome que ficará com o posto de capitão na ausência de Neymar. "Faremos mais um treino hoje, vou analisar as opções para ver o que se encaixa melhor dentro da equipe para tomarmos uma decisão e escolhermos o capitão. Na hora vocês vão saber", completou. 

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade