Futebol

publicidade
28 de dezembro de 2012 • 08h06

Em 2º adeus ao Morumbi, Lucas admite "aperto no coração"

Ex-camisa 7 do São Paulo se despediu do clube em 12 de dezembro; adeus ao Morumbi veio 15 dias depois
Foto: Bruno Santos / Terra

Lucas se despediu do São Paulo no dia 12 de dezembro de 2012, na polêmica vitória em casa por 2 a 0 sobre o Tigre (Argentina) pela decisão da Copa Sul-Americana. No entanto, sua despedida do Estádio do Morumbi só veio a acontecer exatos 15 dias, nesta quinta-feira, no Jogo das Estrelas 2012, evento beneficente organizado por Zico. Camisa 7 do time de vermelho, o agora jogador do Paris Saint-Germain foi bastante comemorado pela torcida, ainda que atuação tenha sido discreta no empate por 4 a 4 contra o time de branco.

Mesmo sem balançar as redes, Lucas atraiu gritos histéricos de parte da (pouca) torcida que compareceu ao evento. Trocou passes com Zico, arriscou chutes a gol. Bastante disposto, deixou uma última apresentação aos são-paulinos presentes nas arquibancadas do Morumbi. O último gol que ficará na memória, porém, foi mesmo contra o Tigre – o primeiro da partida, aos 22min do primeiro (e único) tempo.

Lucas agora deixa o Brasil neste sábado. O destino: Catar, onde o Paris Saint-Germain realiza intertemporada. A chegada a Paris deve acontecer no dia 4 de janeiro, provável data de sua apresentação no novo clube. Às vésperas da mudança, o jogador pisou no gramado do Morumbi pela última vez nesta quinta-feira, e admitiu a emoção.

“Vou fazer a mala, mas com aperto no coração”, declarou na saída do campo, cercado por um grupo nada amistoso de seguranças. “Foi o último jogo. Agora, não tem mais como.”

Para quem viu Lucas crescer e explodir no Estádio do Morumbi, a despedida desta quinta-feira – a última – ganhou tons de emoção. Foi o caso de Marco Aurélio Cunha, ex-superintendente de futebol do São Paulo, atualmente dividindo-se entre as funções de vereador da cidade de São Paulo e conselheiro do clube tricolor.

“Ele é muito chorão. Eu também sou. É sempre difícil se despedir de meninos-prodígio”, disse Marco Aurélio Cunha, lembrando da disposição de Lucas ao ir ao estádio em seus últimos dias de Brasil “para arriscar as canelas” no jogo promovido por Zico.

Nem mesmo o dono da festa deixou de elogiar o convidado ilustre, camisa 7 de seu próprio time. “Tem talento como poucos. Vai para um grande time, e isso vai ajudá-lo”, disse Zico ao deixar o gramado do Morumbi nesta quinta-feira.

A partir de agora, o próximo jogo oficial de Lucas deve ser no Estádio Parc des Princes, na capital francesa. O contrato de Lucas vai até junho de 2017, quando ele terá apenas 24 anos. Ainda jovem, se não estiver na mira de outros grandes clubes do futebol europeu, o meia-atacante já tem destino certo. “Vou levar isso no coração. Quem sabe um dia eu posso voltar.”

Terra