1 evento ao vivo

Em carta aberta, Bom Senso FC pede reformas no futebol aos presidenciáveis

21 out 2014
17h38
atualizado às 17h42

Cerca de mil jogadores pediram nesta terça-feira aos candidatos que disputam as eleições presidenciais do próximo domingo que se comprometam em reformar e democratizar a Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Eles fazem parte do Bom Senso FC, que publicou uma carta aberta dirigida à atual presidente e candidata Dilma Rousseff (PT) e a Aécio Neves, que concorre ao pleito pelo PSDB.

O documento critica a má divisão das receitas milionárias recebidas pelos clubes que, segundo o Bom Senso, não são direcionadas a desenvolver o esporte no país por causa de problemas na gestão da CBF e das federações estaduais.

Essas organizações foram classificadas pelo Bom Senso como "estruturas fechadas, autoritárias e sem nenhuma legitimidade".

"Hoje o futebol brasileiro é refém de um conjunto de estruturas arcaicas sem qualquer compromisso com a transparência, eficiência e participação democrática. São entidades que trabalham exclusivamente a favor da manutenção de seu poder", afirma a carta aberta.

O Bom Senso foi criado por grupo de atletas no ano passado para exigir reformas no futebol brasileiro e já conseguiu uma reunião com a presidente Dilma no Palácio do Planalto.

Os jogadores exigem a implantação de normas financeiras restritivas para obrigar que os clubes paguem sem atraso salárois a atletas e empregados. Além disso, pedem a criação de um novo calendário de competições, evitando que clubes pequenos passem grande parte do ano sem atuar.

EFE   
publicidade