0

Aposentadoria de Tcheco está indefinida e Coritiba busca Lincoln

6 dez 2011
18h07
atualizado às 19h10

Dois contratos que se encerram no final de dezembro já agitam os bastidores do Coritiba. O primeiro é o do meia Tcheco, ídolo da torcida, que ouviu um pedido do filho para se aposentar do futebol e ainda não sabe o que fazer. O outro é o de Lincoln, dispensado pelo Avaí e cujo contrato junto ao Palmeiras também se encerra no próximo dia 31.

Filho pediu que Tcheco se aposentasse do futebol
Filho pediu que Tcheco se aposentasse do futebol
Foto: Agência Lance

No caso da aposentadoria de Tcheco virar realidade, a diretoria do Coritiba já estuda a contratação do ex-palmeirense para a disputa do Campeonato Paranaense, da Copa do Brasil, da Copa Sul-Americana e do Brasileirão da Série A em 2012. Responsável pelas duas situações, o superintendente Felipe Ximenes, evita se aprofundar: "tem essa coisa do Tcheco, teremos uma reunião para decidir, e iremos atrás de outro jogador caso ele saia".

O único empecilho para o acerto com Lincoln é o alto salário. Nos poucos meses em que atuou com a camisa do clube catarinense, o meia de 32 anos tinha 70% dos salários pagos pelo Palmeiras, clube que não tem intenção de renovar o vínculo para 2012. Dessa forma, o novo clube do jogador teria que pagar a totalidade dos vencimentos.

O Coritiba começaria a pensar nessa possibilidade apenas se Tcheco cedesse às pressões familiares e deixasse o futebol aos 35 anos de idade, em dezembro deste ano. O filho dele de dez anos quer que o jogador pare de viajar com o time para ficar mais perto da família em 2012.

Com o aval do técnico Marcelo Oliveira, da torcida e da diretoria do Coxa, a permanência em 2012 só não acontece se Tcheco não realmente não quiser. A reunião com Ximenes marcada para o fim desta semana determina a decisão final.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

publicidade
publicidade