PUBLICIDADE
Logo do

Fluminense

Favoritar Time

Perda de ataque titular traz boas memórias ao Flu

4 mar 2009 - 19h05
Publicidade

Enquanto Fred, que se apresenta nesta quinta, não fica à disposição, René Simões precisa se virar sem três de suas quatro opções para o ataque. Maicon, Roger e Leandro Amaral estão lesionados e o treinador do Fluminense deverá repetir a dupla com Éverton Santos e Thiago Neves, mais adiantado. Um cenário que não é exatamente novo para o time carioca - ano passado, o Fluminense perdeu, de forma dramática, dois de seus três badalados atacantes: Dodô e Leandro Amaral. Na frente, Washington ficou como único homem. Mas, se acontecer como em 2008, o inesperado problema no ataque pode acabar dando em boa coisa. Naquela época, o time carioca, improvisado, acabou vice-campeão da América.

» Flu confirma Fred e apresenta atacante nesta 5ª
» Leandro Amaral será submetido a artroscopia

Em 2008, Washington, Leandro Amaral e Dodô eram as contratações de maior impacto nas Laranjeiras. Apesar das críticas, Renato Gaúcho escalava o trio como titular, mas os resultados não convenciam e a equipe não conseguiu disputar a final da Taça Guanabara. Depois de alguns jogos, Leandro Amaral e Dodô, por motivos distintos, ficaram impossibilitados de entrar em campo. E aí, tendo que improvisar, Renato acabou acertando a equipe, que caminhou com brilho até a decisão da Copa Libertadores.

Primeiro, foi Leandro Amaral quem precisou deixar o Fluminense em razão de uma ação do Vasco, seu antigo clube, na Justiça. Logo em seguida, Dodô sofreu uma lesão e deixou Renato Gaúcho de mãos atadas. Com Washington isolado na frente e Cícero entrando como mais um homem de meio de campo e fazendo o papel de segundo atacante, o destino deu a Renato a solução que ele precisava. Depois de recuperado, Dodô não conseguiu reconquistar o lugar na equipe, que tinha se encaixado.

Em 2009, a história se repete nas Laranjeiras. O jovem Maicon tem problemas no tornozelo direito, Leandro Amaral ficará 30 dias de fora para realizar uma artroscopia no joelho e Roger tem dores lombares. Todos são desfalques de René Simões para o jogo desta quinta-feira contra o Nacional de Patos , no Maracanã, às 19h30.

Esses problemas, aliás, já causaram o primeiro efeito positivo. Desacreditado dentro do Fluminense e cotado para ser dispensado no início do ano, Éverton Santos se beneficiou das lesões dos companheiros e conquistou um espaço entre os titulares. Contra o Tigres, pelo Campeonato Carioca, veio do banco e marcou dois gols. Depois, escalado desde o início, fez o da vitória contra o próprio Nacional, na estréia da Copa do Brasil. Hoje é praticamente a única opção.

Mas é difícil deixar de pensar que problemas com o setor ofensivo são uma ironia no time do Fluminense. Verdade que as contratações de um clube raríssimas vezes deixam de passar pelo ataque. A torcida exige gols e, ao contrário de outros setores, raramente é possível improvisar na frente. Mas, nos últimos dois anos, a tônica de contratações do Fluminense foi em cima de atacantes.

Curiosamente, assim como em 2008, o momento de 2009 também não é positivo. O Fluminense só avançou às semifinais da Taça Guanabara em razão de uma combinação maluca nas últimas duas rodadas, e acabou batido de maneira convincente pelo Botafogo. Vencer a Taça Rio tem caráter de prioridade nas Laranjeiras e serviria para tirar do Flamengo a chance de se igualar no número de títulos cariocas ao longo da história. Mais uma vez, o sucesso pode passar pelos desfalques no ataque.

Fred tem camisa personalizada antes mesmo de ser apresentado no Flu
Fred tem camisa personalizada antes mesmo de ser apresentado no Flu
Foto: Site do Fluminense / Divulgação
Fonte: Terra
Publicidade