PUBLICIDADE

Grêmio e Inter iniciam festa do centenário do Gre-Nal

8 fev 2009 - 08h31
(atualizado às 11h17)
Publicidade

A galeria dos principais Gre-Nais da história ganha uma nova partida neste domingo. Completando 100 anos de vida e batalhas épicas no meio do ano, a maior rivalidade do Rio Grande do Sul - e para muitos do Brasil - tem o início de sua festa em Erechim, às 19h30 (de Brasília), no Estádio Colosso da Lagoa. Grêmio e Internacional viajam para o interior gaúcho com o intuito de escrever mais uma página de suas histórias, cujo primeiro capítulo data de 18 de julho de 1909.

» Veja mais fotos do Grêmio
» Veja mais fotos do Inter
» Protagonistas falam do Gre-Nal
» Derly e Gessinger vivem Gre-Nal
» Clássico tem duelos épicos
» vc repórter: mande seu relato ou sua foto de um Gre-Nal histórico
» Comente a rivalidade do Gre-Nal

O Gre-Nal de número 374, deste domingo, tem clima de competição à parte, embora seja válido pelo Campeonato Gaúcho. Com bons resultados nas rodadas iniciais, Celso Roth e Tite confirmaram a importância do clássico ao pouparem seus titulares no meio da semana, respectivamente contra Veranópolis e Ulbra - o que talvez explique a derrota do Grêmio para o Veranópolis.

Para o Grêmio, reencontrar o Inter após a goleada de 4 a 1, fora de casa, sofrida no último Campeonato Brasileiro, tem sabor de vingança. Celso Roth dispõe de uma equipe pouco alterada em relação a 2008, mas o vice-presidente de futebol, André Krieger, prefere não relacionar esse último jogo.

"Essa partida faz parte do passado. Foi em uma competição em que o Grêmio foi o melhor gaúcho classificado, vice-campeão, ficando com uma vaga na Libertadores - onde muitos clubes gostariam de estar", diz.

Do lado gremista, apesar da derrota de 3 a 1 para o Veranópolis, com os reservas, na última quarta-feira, o clima é de confiança. A equipe de Roth havia goleado Esportivo e Novo Hamburgo, nas rodadas anteriores, com grandes atuações de Souza e Tcheco, e a grande dúvida está em utilizar um ou dois atacantes. William Magrão e Alex Mineiro retornam de leves lesões e devem estar à disposição para o Gre-Nal.

Invicto no Campeonato Gaúcho - ao lado do Brasil, que só fez dois jogos -, o Internacional ainda respira os ares de tranqüilidade no Beira-Rio. A única baixa em relação a 2008 foi o volante Edinho, negociado ao Lecce, mas há a expectativa de que Tite tenha laterais novos para o clássico: Arílton, ex-Coritiba, e o selecionável Kléber, ex-Santos, têm boas chances de iniciar jogando em Erechim.

Com a permanência confirmada no Inter, Alex - grande destaque do clube na última temporada - é esperança de gols no Gre-Nal. O meia viveu momentos de tensão na última segunda-feira, aguardando uma possível transferência para o futebol inglês, e admitiu uma pitada de frustração por não sair.

"Vamos deixar isso de lado, está tranqüilo. Vamos pensar única e exclusivamente no Inter", destaca.

Localizada a pouco mais de 360 km de Porto Alegre e com cerca de 90 mil habitantes, Erechim deve repartir o Colosso da Lagoa para as duas maiores torcidas do seu estado. Foram colocados à venda 19 mil ingressos, divididos meio a meio para gremistas e colorados, em um raro momento em que um Gre-Nal terá as duas torcidas no mesmo estádio.

A pacata cidade do interior respirou o clima do trepidante duelo com intensidade: segundo dados da Câmara de Dirigentes Lojistas de Erechim, as vendas de camisetas dos dois clubes cresceram em 30% nas últimas semanas.

Para garantir a lisura do resultado e o bom comportamento das equipes, o duelo de Erechim ficará a cargo da arbitragem de Carlos Eugênio Simon. Nome mais experiente do apito gaúcho, ele venceu um sorteio contra Leonardo Gaciba e está escalado para o 15º Gre-Nal de sua carreira. Marcelo Barizon e Paulo Ricardo Conceição serão seus auxiliares.

Rivalidade entre Inter e Grêmio sempre provoca jogadas mais fortes no clássico
Rivalidade entre Inter e Grêmio sempre provoca jogadas mais fortes no clássico
Foto: Divulgação
Fonte: Especial para Terra
Publicidade