PUBLICIDADE

Atleticanos comemoram expulsão de Montillo e ironizam rival

9 mai 2011 08h00
| atualizado às 08h04
Publicidade
Ney Rubens
Direto de Belo Horizonte

Quando o armador Montillo, do Cruzeiro, foi expulso por cometer uma falta sobre o camisa 10 do Atlético-MG, Geovane Augusto, a poucos minutos do final da primeira partida da decisão do Campeonato Mineiro, a torcida alvinegra vibrou como se fosse um gol. Isso porque os quase 18 mil atleticanos que foram à Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG), sabiam que o time rival havia acabado de perder grande parte da força ofensiva.

O argentino é atualmente o principal jogador do elenco celeste e até a partida da última quarta-feira, contra o Once Caldas, pela Copa Libertadores, era quem melhor comandava o meio de campo do Cruzeiro na campanha arrasadora realizada na primeira fase. O rendimento diante dos colombianos e também contra o arquirrival caiu, mas, mesmo assim, Montillo fez ótimas jogadas, como a do gol celeste no clássico, em que numa arrancada rápida deixou Wallyson em ótimas condições de marcar. E o atacante não desperdiçou.

Montillo teve ao seu lado, na maioria das partidas este ano, o armador Roger, que desta vez foi deixado no banco pelo técnico Cuca. Mesmo assim a torcida alvinegra provocou o jogador: "ô Roger, chif...." gritaram, numa agressiva referência ao seu relacionamento com a atriz Deborah Secco. A birra da torcida alvinegra talvez tenha uma explicação. O jogo de estreia do meia, no ano passado, foi contra o rival. Naquela oportunidade ele marcou um gol de fora da área e cobrou o escanteio para Leonardo Silva, hoje zagueiro alvinegro, marcar de cabeça e fechar o placar em 3 a 1.

Não foi somente o armador Roger que ouviu vaias e provocações. O lateral direito Patric também foi xingado ostensivamente pela própria torcida, principalmente depois dele chutar a bola sobre um adversário, no lance que terminou com o gol do Cruzeiro. Sorte que ele recebeu uma bola sozinho na pequena área e marcou o gol da vitória alvinegra (2 a 1). Na comemoração, fez um gesto de coração com as mãos para pedir uma trégua aos torcedores que o vaiavam insistentemente desde que ele marcou contra o América-MG, na semifinal do campeonato, e mandou, com um gesto, a torcida atleticana ficar em silêncio.

Mas a maior alegria da torcida atleticana no jogo foi mesmo ironizar os rivais que foram eliminados na Copa Libertadores. Antes e durante o jogo, gritos de "eliminado". Nas arquibancadas, dezenas de pessoas vestidas com camisas do Once Caldas e também do atacante Rentería, que em 2009 passou pelo Atlético e foi um dos melhores jogadores em campo na última quarta-feira. A alegria dos atleticanos foi tanta com o fracasso do rival que um grupo de torcedores mandou fazer uma faixa com os dizeres: "Cruzeiro x Barcelona, só no Playstation", confronto que agora só será possível mesmo no videogame.

Cruzeirenses encararam pressão da torcida alvinegra na primeira final
Cruzeirenses encararam pressão da torcida alvinegra na primeira final
Foto: Ney Rubens / Especial para Terra
Fonte: Especial para Terra
Publicidade