0

Atlético-PR aceita R$ 23 mi, e Nathan acerta com Chelsea

Jogador vai a Londres para fazer exames médicos e assinar contrato; valor total é de 7 milhões de euros

10 abr 2015
17h43
atualizado às 19h31
  • separator
  • comentários

O imbróglio envolvendo o meia Nathan e o Atlético-PR chegou ao fim na tarde desta sexta-feira. Em audiência realizada nesta sexta-feira, na 15ª Vara do Trabalho, em Curitiba, jogador e clube entraram em acordo e o destino é surpreendente: o Chelsea-ING, em um total de 7 milhões de euros.

Nathan acumula constantes passagens pela Seleção Brasileira das categorias de base
Nathan acumula constantes passagens pela Seleção Brasileira das categorias de base
Foto: CBF / Divulgação

O time inglês não foi especulado em nenhum momento durante todo o processo entre as partes. O Manchester City-ING, na época, era o único do país com interesse e, no Brasil, o São Paulo era o maior interessado. Por outro lado, em viagem à Europa, o pai e representante, José Carlos de Souza, procurou 10 clubes para tentar uma venda de seu filho.

O processo, que tinha o meio-campista tentando a desvinculação e o Atlético-PR querendo que o jogador cumprisse mais dois anos de contrato, será suspenso. Para isso, Nathan viajará a Londres na próxima semana para realizar exames médicos e, enfim, assinar contrato.

Os detalhes da negociação não foram falados, até por estar em segredo de Justiça desde a audiência do dia 26 de março por determinação da juíza Morgana Richa. Anteriormente, o Chelsea-ING tinha oferecido um determinado valor, por intermédio do empresário Giuliano Bertolucci, e o time brasileiro recusou a forma de parcelamento.

A proposta financeira, dessa vez, foi maior para o negócio ser fechado definitivamente. A equipe inglesa ofereceu 7 milhões de euros ao todo (entre pagamento à vista e premiação por meta), aproximadamente R$ 22,9 milhões, na cotação atual - a multa rescisória para a Europa era de 30 milhões de euros. Assim, a novela Nathan, enfim, termina.

Entenda o caso

<p>Com 19 anos, Nathan é mais uma promessa lapidada no CT do Caju</p>
Com 19 anos, Nathan é mais uma promessa lapidada no CT do Caju
Foto: Atlético-PR / Divulgação

Aos 16 anos, em abril de 2012, Nathan assinou o primeiro contrato de trabalho como profissional A duração era de cinco anos, mas uma regra da Fifa restringe o vínculo inicial a apenas três anos. Uma cláusula no contrato previa a prorrogação automática por mais dois anos, até abril de 2017. Enquanto o Atlético-PR tenta fazer valer o vínculo, o jogador alega coação na época da assinatura.

Desde a metade do ano passado, Nathan e Atlético-PR tentam um acordo para definir a situação. A vontade do meio-campista, que acumula passagens pela base da Seleção Brasileira, não é de ficar no CT do Caju . As partes já até tentaram, mas não conseguiram chegar a um acordo em várias oportunidades. O clube paranaense chegou a oferecer salário de R$ 20 mil mensais - atualmente, o Atlético-PR deposita R$ 6 mil mensalmente, apesar do valor no contrato ser de R$ 1,4 mil - e R$ 1 milhão de luvas, que foi considerado insuficiente. Até nota oficial no site atleticano aconteceu em repúdio .

O Atlético-PR chegou a ter uma vitória sobre o contrato de gaveta, que daria vínculo até 2017 , mas foi revogada depois. No mesmo mês, a família de Nathan teve uma atitude drástica: vendeu seus bens e pagou a multa nacional de R$ 2,4 milhões para ficar livre . O clube paranaense contestou o valor e, agora, aceitou finalmente um valor pelo meio-campista rubro-negro.

Fonte: PGTM Comunicação - Especial para o Terra PGTM Comunicação - Especial para o Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade