PUBLICIDADE

Formador, Atlético-PR arrecada R$ 59 mi com vendas em um ano

Manoel, Nathan, Douglas Coutinho e Marcelo encheram os cofres do time paranaense

13 abr 2015 20h48
ver comentários
Publicidade

Com a venda do meio-campista Nathan ao Chelsea-ING, que depende apenas dos exames médicos e assinatura do contrato nesta semana, o Atlético-PR conseguiu arrecadar R$ 59 milhões em menos de um ano apenas com a venda de quatro promessas. Os números não são confirmados oficialmente pelo clube e o valor total dessas vendas não foram pagos à vista, existindo parcelamentos em todos.

<p>CT do Caju é referência no Brasil</p>
CT do Caju é referência no Brasil
Foto: Atlético-PR / Divulgação

O time paranaense já se aceitou a filosofia de ser um clube formador de atletas por aqui. Com o Centro de Treinamento Alfredo Gottardi, um dos mais modernos do País e que foi a casa espanhola na Copa do Mundo de 2014, a estrutura é propícia para isso. 

No final de maio de 2014, o Atlético-PR vendeu uma de suas joias. O zagueiro Manoel foi vendido ao Cruzeiro por R$ 10 milhões, depois de algumas polêmicas durante a Copa Libertadores. O atacante Marcelo foi o segundo, em dezembro do ano passado. O Doyen Group comprou o rápido atleta por R$ 12 milhões e o repassou ao Flamengo nesta temporada, sendo um dos destaques do time carioca até aqui.

Diferente dos citados anteriormente, titulares absolutos e já consolidados no time, esses outros ainda são apostas: o mesmo Doyen Group mirou no atacante Douglas Coutinho por R$ 14 milhões em novembro, enquanto Nathan foi vendido para o Chelsea-ING por R$ 23 milhões na última semana.

Com isso, o Atlético-PR levantou uma enorme quantia em somente dez meses. Como é de praxe, o clube não se pronuncia detalhadamente sobre o valor oficial, mas o arrecadado inicia o alívio atleticano, que se "afundou" em dívidas para reformar a Arena da Baixada para o Mundial, que está em R$ 346.246.274,19 por ora. 

No dia 5 de dezembro deste ano, por exemplo, o presidente Mario Celso Petraglia precisa pagar a primeira parcela do financiamento/empréstimo, no valor de R$ 33,3 milhões. O estádio rubro-negro é visto como um divisor do futuro: uma fonte eterna de dinheiro ou a quebra nas contas.

Percentuais / Vendas futuras

<p>Nathan acumula constantes passagens pela Seleção Brasileira das categorias de base</p>
Nathan acumula constantes passagens pela Seleção Brasileira das categorias de base
Foto: CBF / Divulgação

Outro detalhe importante dentro das negociações realizadas por Petraglia consiste na manutenção de percentuais nos direitos econômicos dos atletas vendidos. O mais recente, Nathan, não deixará nenhum com o Atlético-PR, mas o clube vai ganhar através de bonificações por partida na temporada.

No caso do Marcelo, o grupo maltês comprou 50% dos direitos do atacante, que está emprestado ao Flamengo até o fim de 2017 - no Atlético-PR, o jogador tem contrato até o final de 2019. Ou seja, caso haja uma proposta para fora do Brasil, a direção atleticana é quem decide se aceita ou não. Se acontecer, a divisão é feita da seguinte forma: Atlético-PR (50%), Doyen Group (30%) e Flamengo (20%).

Já com o defensor Manoel, que também teve 50% vendido, o clube paranaense vai seguir com 30% dos direitos econômicos, tendo ainda 20% de um grupo de investidores. Tendo grande potencial, o zagueiro acabou brigando com Petraglia na Justiça e viu o Cruzeiro entrar na discussão para levá-lo.

Por fim, Douglas Coutinho também tem uma parte do Atlético-PR. O clube comprou 15% dos direitos que estavam ligados ao atleta e ao seu empresário. Cotado na Europa, principalmente na Holanda, o atacante não conseguiu se transferir na última janela e atua no Campeonato Paranaense até alguma transferência se concretizar.

Estrutura

<p>CT do Caju é referência no Brasil</p>
CT do Caju é referência no Brasil
Foto: Atlético-PR / Divulgação

Inaugurado em 1999 e com 220mil m², o CT do Caju possui oito campos: quatro campos de futebol oficiais de 105m x 70m; três campos de futebol oficiais de 105m x 68m; um campo de futebol reduzido para 105m x 56m;  uma rampa rústica; uma área de habilidade motora; um campo de goleiros de 52,5m x 68m; duas áreas auxiliares.

Além disso é composto por: dois hotéis (180 hóspedes/dia), dois restaurantes (800 refeições/dia), lavanderia, duas piscinas térmicas, sala de musculação e estacionamento para 120 veículos. Ainda quadras poliesportivas de tênis e futsal e uma cancha de areia. Por fim, possui centro médico e científico com amplo desenvolvimento em fisiologia, fisioterapia, ortopedia, nutrição e diagnósticos em exames de avaliações isocinéticas, densitometria óssea  e cardiopulmunares.

Categoria A

Hotel no CT do Caju é espaçoso
Hotel no CT do Caju é espaçoso
Foto: Atlético-PR / Divulgação

No seleto grupo de clube formador "Categoria A", conforme prescreve o Certificado de Clube Formador, regulamentado por meio da Lei nº 12.395/11, o Atlético-PR teve e tem vários atletas que já passaram pelas diferentes categorias da Seleção Brasileira. 

Logo que desembarca no CT do Caju, recém-chegado ganha um perfil que alimenta um banco de dados com as informações do jogador para que seja possível o acompanhamento, tendo o amparo dos pais ou responsáveis.

Essas pessoas recebem orientações e são informadas de todas as ocorrências durante a estada do jovem atleta no CT atleticano. Dentre elas, o desempenho escolar. "Lições da sala de aula que são incrementadas com um programa de educação continuada. No CAP, ele visa desde a conservação do meio ambiente, passando pela saúde e prevenção, até projetos sociais, que promovem a cidadania, a melhoria das relações interpessoais e da qualidade de vida dos atletas", explica através do site oficial.

O clube mantém duas categorias que treinam diariamente no CT do Caju: Sub-15 e Sub-18. Ambas disputam competições estaduais, nacionais e representam o Rubro-Negro até em torneios internacionais. O Sub-23, projetado adotado desde 2013, está em dúvida no momento. Depois da péssima campanha no Campeonato Paranaense deste ano, junto com o elenco principal, o grupo tinha 14 atletas e, agora, está com somente nove jogadores.

Fonte: PGTM Comunicação - Especial para o Terra PGTM Comunicação - Especial para o Terra
Publicidade
Publicidade