publicidade
17 de fevereiro de 2013 • 21h23 • atualizado às 23h15

Autor de assistências, Wesley admite que faltou "cabeça em pé"

Wesley deu bons passes, mas quis resolver sozinho muitas vezes
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra
  • Dassler Marques
    Direto de São Paulo
 

Wesley cruzou na medida para os gols de Vílson e Vinícius, mas mesmo assim teve alguns pontos baixos em sua participação no clássico deste domingo, no Pacaembu, que terminou em empate por 2 a 2 entre Corinthians e Palmeiras. Escalado como meia da equipe palmeirense, ele errou em várias oportunidades de contra-ataque, sobretudo quando deixou de servir Souza, livre, em lance que poderia se transformar em gol. Wesley admitiu os vacilos, com os quais Gílson Kleina concordou. Os números comprovam a tese.

Romarinho livra Corinthians de derrota para Palmeiras; vejaClique no link para iniciar o vídeo
Romarinho livra Corinthians de derrota para Palmeiras; veja

"Se tivesse mais tranquilidade, a cabeça em pé, eu teria servido ele. Errei em um lance primordial que não vi o Souza", disse sobre o lance de contra-ataque no primero tempo. Ainda assim, o homem das assistências nos gols palmeirenses celebrou o resultado no clássico. "Pode ser amargo porque ficamos na frente por um bom tempo, mas a equipe está crescendo cada vez mais, vamos embora. No futebol hoje em dia, se tiver disposição, não tem porque as coisas não acontecerem".

Kleina, por sua vez, teve a mesma avaliação sobre Wesley. Lembrou que ele apareceu bem em algumas jogadas, mas não fez a opção correta. "Conversamos no intervalo e eu disse (...) Wesley, você faz boa partida. Mas tivemos essa transição que precisamos facilitar mais. O Wesley participa muito, tem leveza, procura o espaço. Mas precisamos melhorar porque de repente vai ser um contra-ataque só", observou.

Os dados do Footstats apontaram que Wesley foi o jogador com maior posse de bola do Palmeiras, total de 1min46s. Ele foi apanhado por três vezes em impedimento, teve cinco perdas de bola e ainda errou as seis finalizações que tentou. Ao lado de Souza na armação, e com Patrick Vieira e Vinícius abertos, em time sem centroavante, usou e abusou dos dribles. Ao todo, Wesley buscou a finta em 11 ocasiões - teve sucesso em oito.

Terra