0

Ponte Preta supera abelhas e Sorocaba para seguir na cola do líder

17 mar 2013
20h31
atualizado às 20h54
  • separator
  • 0
  • comentários


Em partida que quase não foi autorizada a começar por conta da invasão de abelhas a um dos gols do estádio Moisés Lucarelli, a Ponte Preta triunfou diante do Atlético Sorocaba, neste domingo, por 2 a 1. Com gols marcados por Cléber e Willian, seus principais goleadores no Campeonato Paulista de 2013, a Ponte manteve a invencibilidade e igualou uma marca histórica: desde 1981, não conseguia iniciar uma competição com 12 partidas sem perder.

Cerca de duas horas antes de a bola rolar para o duelo de opostos em Campinas, a organização da FPF notou que havia uma grande concentração de abelhas em um dos gols. Depois de tentarem afastar a colônia com fogo, extintor de incêndio, gasolina e veneno, os bombeiros tiraram os insetos e autorizaram o início da partida.

Com bola rolando, a Ponte tomou sufoco nos primeiros minutos, mas reagiu com cabeceada de Cléber e o preciosismo de Willian para aproveitar passe magistral de Cachito Ramírez. No início do segundo tempo, Wellington descontou para os visitantes, o Sorocaba seguiu na pressão, mas não alcançou o empate.

Com a vitória, o time do técnico Guto Ferreira avança a 26 pontos e segue dividindo a liderança do Campeonato Paulista com o São Paulo, à frente só por ter uma vitória a mais. Na próxima quinta-feira, a Macaca visita o União Barbarense para tentar se isolar na ponta. Já o Atlético Sorocaba, que podia ter saído da zona de rebaixamento em caso de melhor sorte, segue com nove pontos, na 17ª posição. O próximo adversário dos comandados de Vágner Benazzi é o Mogi Mirim, quarta-feira, no estádio Walter Ribeiro.

Vitória da Ponte Preta em Campinas

Os primeiros minutos de bola rolando no estádio Moisés Lucarelli - antes de a Ponte Preta abrir o placar e afastar a pressão - deixaram claro que os jogadores deveriam ter ouvido um pouco mais as instruções de Guto Ferreira. Com base na bola parada, o Atlético Sorocaba sufocou os donos da casa, confirmando as expectativas do treinador. Logo aos dois minutos, Cléber desviou um ataque dos visitantes e, após a cobrança de escanteio, Bruninho acertou a trave de Edson Bastos com um chute forte, à queima roupa.

Os comandados de Vágner Benazzi deram sequência à pressão com o inspirado Bruninho, que desceu pela direita do ataque do Sorocaba e serviu Marquinhos, dentro da área. Após a bola passar raspando a trave da Ponte, a receita usada pelos adversários acabou rendendo frutos para o time de Campinas. Aos 15 minutos do primeiro tempo, Uendel levantou a bola na área em cobrança de falta e Cléber teve liberdade suficiente para concluir com a direita e abrir o placar em Moisés Lucarelli.

O Sorocaba não sentiu o efeito do gol da Macaca e insistiu na ofensividade, chegando bem perto de igualar a partida logo na sequência. Devolvendo a gentileza de Bruninho, Marquinhos criou a jogada desperdiçada pelo camisa 10 com um tiro em cima do goleiro Edson Bastos. Cinco minutos após Cléber abrir o placar, a Ponte Preta deu espaço para Bruninho servir Tiago Marques, mas se corrigiu e afastou o perigo na ‘hora H’.

Willian marcou um dos gols da Ponte Preta contra Atlético Sorocaba
Willian marcou um dos gols da Ponte Preta contra Atlético Sorocaba
Foto: Fernanda Sunega / Futura Press

Mesmo diante de um adversário que não desistia do ataque, a Ponte Preta seguiu tentando aumentar a vantagem e acabou vendo o peruano Cachito Ramírez brilhar aos 26 minutos do primeiro tempo. Na última partida realizada antes de se apresentar à seleção peruana para as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014, o camisa 10 observou a movimentação ofensiva de Willian, que ainda se desvencilhava da marcação no momento em que foi acionado em velocidade e bateu rasteiro, sem chances de defesa para o goleiro Marcelo Moretto.

Já no intervalo, notando que a equipe não reagia, Benazzi promoveu duas mudanças, acionando Alex William e Rai nas vagas de Marquinhos e Gilberto, respectivamente. E foi justamente com uma assistência do primeiro, logo aos cinco minutos de bola rolando, em cobrança de escanteio na área, que Wellington assinalou de cabeça aproveitando má saída do goleiro Edson Bastos.

Diante de uma Ponte Preta recuada e acuada pelo gol que diminuiu sua vantagem, o Atlético Sorocaba pressionou com intensidade, mostrando o equilíbrio do Campeonato Paulista. Aos 12 minutos, Carlinhos fez cruzamento na área da Ponte, Tiago Marques arrematou e Diego Sacoman foi obrigado a desviar em cima da linha. Com mais posse de bola, os visitantes chegaram a finalizar cinco vezes contra nenhum arremate dos donos da casa na primeira metade da etapa complementar.

Aos 30 minutos, o perigo quase foi mortal com cobrança de falta de Bruninho que acertou a trave de Edson Bastos. Com Wellington Bruno no lugar de Cachito Ramírez e Chiquinho acionado para a vaga de Diego Rosa, a Macaca se manteve na contenção, sem oferecer perigo, mas tomando sustos com a pressão adversária. Nos últimos minutos de bola rolando, tensa, a torcida da Ponte Preta gritou o nome de Ferrugem, que se lesionou na última rodada e ficará seis meses fora de combate, e só pôde comemorar a expulsão de Rai, já aos 41 minutos.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade