PUBLICIDADE

Rivaldo critica Mogi Mirim e desafia: "querem assumir?"

24 fev 2014 07h40
| atualizado às 10h07
ver comentários
Publicidade
Rivaldo desabafa após ser acusado de "roubar" o Mogi Mirim:

Presidente e meia do Mogi Mirim, Rivaldo desabafou contra a falta de apoio de torcedores, empresários e autoridades públicas da cidade nas partidas da equipe no Campeonato Paulista. Após a derrota por 1 a 0 para o Ituano, no sábado, em que o time foi vaiado e o meia hostilizado, deu entrevista em que afirmou que estava prestes a “estourar” com a situação e desafiou os críticos a assumirem seu papel.

“Essas pessoas que criticam, que falam, sentem na segunda-feira comigo e com o Wilson (Bonetti, empresário) que eu libero o Mogi Mirim para ver se dão conta. Vamos para os cálculos fortes. Quer assumir? Qual é a empresa forte aqui ou o cara que banca, que tem grana pra bancar o Mogi Mirim? Banquem o Mogi Mirim. Não por 5 ou 6 anos como eu estou bancando. Banquem só um ou dois anos. Quero ver como se não tem ninguém ajudando”, disse Rivaldo.

Ituano vence Mogi Mirim e assume liderança do Grupo B; veja gol :

O meia reclamou de falta de apoio da prefeitura e exemplificou afirmando que contratou jardineiros para limparem a área externa ao Estádio Romildo Vitor Ferreira. Ainda classificou como normais as dificuldades vividas pela equipe em 2014 – em 2013, foi semifinalista do Paulista, e em 2012 foi campeã do interior. Nesta edição, é penúltima colocada do Grupo D, agora preocupada com as chances de rebaixamento à Série A-2.

O elenco, Rivaldo reconheceu, não é tão forte, já que nos anos anteriores tinha parceria de co-gestão com a Energy Sports, algo não renovado para 2014. “Eu não sou de Mogi, e estou fazendo o quê aqui se a própria cidade não ajuda?”, indagou. O ponto em que demonstrou maior irritação, no entanto, é quanto às críticas das arquibancadas durante a partida contra o Ituano. O público foi pequeno no Estádio Romildo Vitor Ferreira.

Rivaldo, meia que se consagrou no Barcelona, é presidente e meia do Mogi Mirim
Rivaldo, meia que se consagrou no Barcelona, é presidente e meia do Mogi Mirim
Foto: Terra

“Para mim é uma decepção, porque eu fui campeão do mundo, fui melhor do mundo, joguei em vários campos, com as melhores torcidas do mundo. Para mim, é como se fosse uma pelada ter 600 pessoas (na arquibancada)”, criticou. “Eu tenho toda a minha história, e ficar aqui passando vergonha? Pra mim, isso aqui é vergonha. Essas 600 pessoas no campo é uma vergonha. Eu, com todo nome que eu tenho, poderia estar numa praia, numa lancha, qualquer lugar no Brasil ou no mundo. Poderia estar vendo jogo do Barcelona”, desabafou.

A irritação foi tanta que aproveitou para falar sobre a polêmica da renomeação do estádio. Até se tornar presidente, chamava Papa João Paulo II. Rivaldo assumiu e escolheu o nome do pai para o local. “Vem pra campo. Coloca 5 mil pessoas que eu coloco o nome do Papa”, afirmou, desapontado com a situação: “eu que sou de fora tenho que fazer o Mogi Mirim grande? As pessoas é que têm que fazer o Mogi Mirim grande”. O time volta a campo dentro de casa em 6 de março, contra o Santos.

Rivaldo cita flamenguista para cobrar jogadores do Mogi Mirim:

<a data-cke-saved-href="http://esportes.terra.com.br/infograficos/affairs-jogadores/" href="http://esportes.terra.com.br/infograficos/affairs-jogadores/">Affairs dos jogadores</a>
Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade