0

Sport encontra maior talento desde Juninho Pernambuco

21 mar 2009
11h51
atualizado às 11h56

Em uma entrevista concedida a torcedores famosos e anônimos, Dunga surpreendeu. Questionado pela cantora Cláudia Leitte sobre quando o Brasil veria um jogador do Nordeste na Seleção, o treinador não pestanejou em indicar um candidato. "O Sport tem um atacante muito bom, um menino. O Ciro", respondeu, ratificando as qualidades do artilheiro do clube pernambucano na temporada.

» Veja fotos de Ciro
» Meu filho é um Kaká, diz pai de Ciro
» Pupilo de R$ 40 mi recebe tratamento especial

Ciro, 19 anos, tem despertado não só a atenção de Dunga pelo que faz no Sport em 2009. Elevado à condição de titular pelo treinador Nelsinho Baptista já no início do ano, o jovem, 19 anos, fez 12 gols em 16 partidas e não deu chances a concorrentes experientes.Se há dúvidas quanto ao nível técnico do estadual, o atacante também brilhou em um torneio de alto nível. Na estréia da Copa Libertadores, em Santiago, foi o melhor em campo contra o Colo Colo, fazendo o primeiro gol da vitória por 2 a 1.

"O Ciro é a maior revelação do Sport desde o Juninho Pernambucano. Tem uma multa rescisória (R$ 40 milhões para clubes estrangeiros) que anuncia um jogador em evolução e que está fazendo muitos gols", elogia Sílvio Guimarães, presidente do Sport.

A intimidade com o gol, aliás, é o maior cartão de visitas de Ciro, mais um atacante jovem que se anuncia como revelação para a Copa de 2014. Contratado para a categoria júnior do Sport, rapidamente mostrou seu faro goleador. No Campeonato Pernambucano Sub-20 de 2008, impressionou os rubro-negros com a marca de 34 gols em 29 partidas, começando a chamar a atenção do experiente técnico Nelsinho Baptista, que o integrou aos profissionais rapidamente.

Em 31 de julho passado, na 16ª rodada do Campeonato Brasileiro contra o Ipatinga, a vida de Ciro começou a sair dos contos de fadas para a realidade. Lançado a campo por Nelsinho aos 19min do segundo tempo, o garoto resolveu um jogo enroscado. Em uma jogada, recebeu o passe, deu dois cortes no zagueiro adversário e sofreu um pênalti, convertido por Luciano Henrique. A partida ficou em 2 a 1 e, no fim, Ciro fez o seu, em um lindíssimo chute cruzado. Deixou o campo chorando, com o nome gritado pelos torcedores. Uma noite inesquecível aos presentes na Ilha do Retiro

Desde então, Ciro não parou de crescer. Fez outros três gols na temporada e só não conquistou a titularidade em razão dos cuidados providenciais de Nelsinho Baptista. Em dezembro, foi vice-campeão brasileiro Sub-20, em Porto Alegre, e começou o ano como titular, condição que só perdeu no clássico contra o Santa Cruz. Deixado no banco por Nelsinho, porém, entrou em campo e fez o único gol do Sport, com outro lindo chute de longe. Não saiu mais da equipe.

"Tudo tem dado certo desde minha estréia, tem acontecido da melhor maneira", diz o pacato Ciro, que agradece a atenção que recebe de Nelsinho Baptista. ¿Tudo que tenho conseguido é por causa dele e dos companheiros. Agradeço muito a Deus por trabalhar com um excelente profissional como ele. Se depender de nós dois, continuarei muito bem" afirma o jogador em entrevista exclusiva ao Terra .

Nelsinho, que foi campeão da Copa do Brasil com o Sport e tem contrato assegurado até o fim de 2010, também recebe elogios de Carlos Augusto da Silva, pai de Ciro. "Deus nos abençoou e o colocou no caminho. É um treinador que já trabalhou com Kaká, Fábio Simplício, Júlio Baptista, Dentinho e Lulinha. Sabe como lidar com os garotos. Ele viu o meu filho fazendo tantos gols, jogando em um sol escaldante nos juniores, e entendeu que ele só podia ser mesmo diferenciado", elogia.

Como mostram os muitos gols que Ciro tem feito, sua maior virtude é o faro de goleador, a potência física e a técnica para encarar os zagueiros, além da frieza na frente do goleiro adversário. "Ele é um artilheiro. Dificilmente desperdiça uma chance de gol e se tiver oportunidade, ele faz", explica Nelsinho Baptista.

Embora seja centroavante de ofício, o garoto do Sport é fã de Cristiano Ronaldo. "Desde que ele jogava no Sporting", garante o pai, que conta uma história imperdível. "Uma vez houve um concurso para garotos entre 10 e 17 anos, para ver quem dava o melhor drible elástico. Os meninos jogavam, mas não conseguiam executar o drible. Então o Ciro disse que podia fazer. Eu não queria deixar, mas ele falou que sabia. Na primeira chance, ele deixou o menino sentado. Mas ele tinha só oito anos!" conta Carlos, todo orgulhoso.

Depois de a organização descobrir que Ciro não se enquadrava nos critérios do concurso, pois só tinha oito anos, resolveram dar o troféu para outro garoto. O clamor para dar o prêmio ao gurizinho era tão grande que resolveram abrir uma exceção. "Compraram mais um troféu para dar ao meu filho", se diverte o pai.

Mesmo avaliado em R$ 40 milhões e sondado por Dunga, Ciro pensa longe. Perguntado sobre seus objetivos, ele vai além do futebol. "É me preparar para ter uma estabilidade de vida quando terminar a carreira", conta, já aos 19 anos, como um veterano. Sobre a Seleção, o ídolo do Sport não se ilude. "Não posso perder o foco. É claro que fiquei feliz, mas já passou. É continuar trabalhando", afirma, como quem ainda tem muitos goleiros para bater no futuro.

Começo de Ciro no Sport lembra trajetória de Juninho Pernambucano
Começo de Ciro no Sport lembra trajetória de Juninho Pernambucano
Foto: AFP
Fonte: Especial para Terra
publicidade