Fale conosco

 Notícias por e-mail
Estaduais 2005
Domingo, 17 de abril de 2005, 20h04 
Grandes repelem as zebras nas finais dos Estaduais
 
AP
Vestido de Papa, torcedor incentiva Fluminense na final
Vestido de Papa, torcedor incentiva Fluminense na final
Sites relacionados
No terra
» Baixe pôster e cartão dos campeões
Multimídia
Áudio e vídeo
» Maracanã explode com título do Fluminense
» Atacante sai do banco e dá tetra para o Inter
» Atlético vence Coritiba nos pênaltis e fica com o título
» Ipatinga cala o Mineirão e fica com o título
Saiba mais
» Grandes repelem as zebras nas finais dos Estaduais
» Fluminense vence nos acréscimos e é campeão
» Na prorrogação, Inter conquista o tetracampeonato
» Atlético-PR vence nos pênaltis e é campeão
» Ipatinga surpreende Cruzeiro e fica com título
» Vitória conquista o tetracampeonato baiano
» Criciúma vence Ibirama e conquista o Catarinense
» Nos pênaltis, Vila Nova quebra jejum no Goiano
» Fortaleza bate Icasa na prorrogação e é campeão
» Brasiliense goleia Gama e é bicampeão no DF
» Campeão, São Paulo encerra campanha com vitória
» Reservas de Passarella garantem vice-campeonato
» Time misto do Palmeiras empata com Guarani
» Reservas do Santos empatam em Marília
 Últimas de Estaduais 2005
» Ipatinga e América decidem vaga na final do Mineiro
» RJ: polícia eleva rigor em estádios e ameaça organizadas
» Fortaleza contrata Galeano, ex-Ponte Preta
» Finazzi cobra atrasados do América (SP)
As grandes equipes prevaleceram nas decisões dos Campeonatos Estaduais de 2005. Com exceção de Minas Gerais, onde o Ipatinga surpreendeu o Cruzeiro e conquistou o primeiro título mineiro de sua história depois de vencer por 2 a 1, nos outros estados não houve espaço para zebras.

No Rio de Janeiro, a vitória do Fluminense saiu depois de um gol marcado aos 47min do segundo tempo. Antônio Carlos balançou as redes do Volta Redonda e deu a vitória por 3 a 1 para a equipe tricolor.

Como havia perdido o primeiro jogo por 4 a 3, o Fluminense precisava da vitória com diferença de dois gols para ser campeão. A fé da torcida tricolor, que homenageou o papa João Paulo II nas partidas finais do Estadual, acabou recompensada.

No Rio Grande do Sul, a grandeza da camisa colorada se impôs sobre o 15 de Novembro. A maior revelação do futebol gaúcho foi capaz de fazer dois gols no tempo regulamentar e levar a decisão contra o Inter para a prorrogação.

Fora de casa, o time do Beira-Rio sofreu mais um gol no tempo extra, mas fez dois gols e conseguiu ser tetracampeão. À torcida do 15 de Novembro coube apenas reclamar do árbitro Carlos Eugênio Simon, que encerrou o jogo um minuto antes.

No nordeste, o Fortaleza também foi mais forte que o Icasa. Depois de perder o primeiro jogo por 3 a 1, o time tricolor ganhou o segundo confronto na prorrogação.

Fora de casa, o Criciúma também mostrou força e espantou o Atlético de Ibirama. A vitória por 1 a 0 foi suficiente para dar à equipe o oitavo título da equipe.

Clássicos acirrados

Em três Estados, a decisão do campeonato foi dividida entre as maiores forças do futebol local. E os títulos só saíram depois de jogos bastante disputados.

No Paraná, o Atlético-PR precisou ir até as cobranças de pênalti para bater o Coritiba e ser tricampeão. O curioso é que a diretoria atleticana decidiu mandar embora o treinador Casemiro Mior depois da derrota para o Coritiba por 1 a 0 no primeiro jogo da decisão.

Em Salvador, o Vitória pôde comemorar seu título depois de um empate sem gols com o arqui-rival Bahia.

O campeonato goiano também esteve dividido entre dois inimigos clássicos. O Vila Nova bateu o Goiás nos pênaltis e comemorou o título que não conquistava desde 2001.

Confira como foram as finais

Fluminense 3 x 1 Volta Redonda
Cruzeiro 1 x 2 Ipatinga
15 de Novembro 3 x 2 Inter
Atlético-PR 1 (4) x (2) 0 Coritiba
Vitória 0 x 0 Bahia
Atlético de Ibirama 0 x 1 Criciúma
Fortaleza 2 x 0 Icasa
Vila Nova 1 (3) x (1) 1 Goiás

 

Redação Terra