Boletim
Receba as últimas notícias em seu email
Fale Conosco
Mande suas críticas e sugestões. Participe!
Gaúcho
Domingo, 5 de março de 2006, 19h32 
Grêmio acusa Antônio Carlos, do Juventude, de racismo
 
Alexandre Praetzel
Especial para o Terra
 
 Últimas de Gaúcho
» Grêmio promete cinco reforços para o Brasileiro
» Abel será cobrado após derrota no Gre-Nal
» Após queda, diretor do Inter pede concentração na Libertadores
» Torcida gremista destrói dependências do Beira-Rio
Busca
Busque outras notícias no Terra:
Dirigentes do Grêmio acusam o zagueiro Antônio Carlos de ter agredido o volante do Grêmio Jeovânio com ofensas racistas durante a partida em que a equipe de Caxias do Sul foi derrotada por 2 a 1. Expulso de campo, o jogador teria dito ao gremista: "Isso é coisa de macaco", sinalizando a cor de sua pele esfregando os dedos em cima do braço.

Após a partida, Antônio Carlos se defendeu das acusações e mostrou um corte no braço para justificar seu gesto. "Se querem me acusar de algo, que façam. Mas eu estou tranqüilo. Estava mostrando o meu corte no braço", afirmou o zagueiro, que apresentou o ferimento durante a entrevista após a partida.

Antônio Carlos recebeu cartão vermelho aos 24min do segundo tempo, por ter desferido uma cotovelada em Jeovânio.

O volante saiu de campo sem querer falar sobre o assunto. No vestiário, disse que se sentiu ofendido. "O Antônio Carlos foi maldoso. Fiquei chateado com o que aconteceu, mas isso tem de ser coibido pelas autoridades. Não quero mais falar sobre o assunto."

O árbitro da partida, Leandro Vuaden, também não se pronunciou sobre o fato. Informou apenas que seu relato estará disponível na súmula do jogo que será entregue à Federação Gaúcha de Futebol.


 

Redação Terra