Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

Sexta, 9 de março de 2007, 17h51 

Botafogo lança peneira pela Internet

Busca
Saiba mais na Internet sobre:
Busque outras notícias no Terra:

O Botafogo lançou nesta sexta-feira um projeto inédito no Rio de Janeiro para suas divisões de base. O programa Craques do Botafogo permite aos jovens que queiram iniciar a carreira de jogador de futebol se inscrever pela Internet para as peneiras que o clube fará.

» Veja as últimas do Botafogo

O candidato precisa preencher um formulário e mandá-lo para o clube com documentos - tais como autorização dos pais e atestado médico -, além de pagar uma taxa de inscrição de R$ 69.

O projeto é em parceria com uma empresa de soluções para a Internet, a Kogut, de São Paulo, que fez um trabalho semelhante com a Portuguesa de Desportos. Segundo o presidente alvinegro, Bebeto de Freitas, este é o primeiro passo para que o Botafogo consiga melhorar os trabalhos nas divisões de base, que hoje sofrem com as precárias condições de Marechal Hermes.

"Conseguiu-se encontrar uma solução para Marechal Hermes, qualquer receita proveniente desta peneira será investido somente na base do Botafogo. O primeiro ponto positivo é a quantidade de garotos terem a possibilidade de se apresentar. Vamos colocar à disposiçao toda nossa equipe técnica", explicou Bebeto.

O objetivo da parceria é também atrair patrocinadores para as divisões de base. Os jovens inscritos, se preencherem todos os requisitos, participarão de peneiras aos sábados, a partir da segunda quinzena de abril, em local a definir.

O projeto foi lançado oficialmente na última quinta-feira, com peças publicitárias, e o número de inscrições passou de quatro mil em apenas 24 horas.

Um grande problema apresentado foi a elitização das peneiras. Afinal de contas, é conhecido que a grande maioria dos jogadores que são revelados vem de comunidades carentes.

Os representantes da empresa, porém, garantiram que os jovens de baixa renda poderão se inscrever por meio de lan houses. E que garotos com uma boa renda familiar também podem ter sucesso.

"Na Portuguesa, vimos que 50% dos inscritos eram economicamente carentes e 50% eram de classe média e alta. Tivemos dois garotos-revelações, um com renda familiar de 45 mil reais por mês e outro carente. Futebol é para todos", garantiu Rosane Kogut, diretora de projetos da empresa.

Lancepress!