ManagerZone
Crie seu próprio time de futebol
Administre uma equipe e desafie seu amigos na Internet!
Leia mais

Espanhol
Domingo, 16 de abril de 2006, 20h23 
Brasileiro do Real diz que "será catástrofe" perder o vice
 
 Últimas de Espanhol
» Machucado, Beckham desfalca Real contra o Racing
» Lateral do Flu acerta detalhes com Real na Espanha
» Barcelona perde Messi para a disputa do Mundial
» Lateral do Flu viaja à Espanha nesta segunda
Busca
Busque outras notícias no Terra:
O meio-campo brasileiro Julio Baptista, do Real Madrid, disse neste domingo, após o empate por 1 a 1 com o Getafe, que não conseguir o vice-campeonato e a conseqüente classificação direta para a Copa dos Campeões "seria uma catástrofe".

O Real Madrid perdeu a segunda posição no Campeonato Espanhol, que compartilhava com o Valencia, que assegurou a colocação ao vencer por 4 a 0 o Espanyol.

"Seria uma catástrofe não sermos o segundo. É melhor apertar um pouco agora que chorar no final. Se queremos o segundo lugar, temos que apertar muito e somar os pontos que nos restam. Temos todos que dar muito mais. Temos que somar os pontos o mais rápido possível", disse o brasileiro.

Baptista, que abriu o placar neste domingo e desperdiçou duas chances claras, analisou o comportamento de sua equipe após o primeiro gol.

"Deveríamos ter aproveitado mais após o primeiro gol. Com 1 a 0 poderíamos ter controlado muito mais a partida e não o fizemos. Eles aproveitaram muito mais, principalmente explorando lances de bola parada", opinou.

Os jogadores do Getafe pediram mão de Baptista na bola quando este a dominou para marcar o único gol de sua equipe.

"Não tentei levar a bola com o braço. A bola toca, mas o braço está junto ao corpo", explicou ele.

Para seu companheiro de equipe, Alvaro Mejía, faltou ao Real Madrid "não só empenho, mas também tranqüilidade" quando tinha a partida a seu favor.

"Sabíamos que eles levariam perigo com a bola parada, mas ainda assim deixamos eles empatarem", acrescentou.
 

EFE

Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.