11 eventos ao vivo

"Feliz da vida", Abel explica saída de D'Alessandro na Bahia

26 jul 2014
23h59
atualizado em 27/7/2014 às 08h09
  • separator
  • 0
  • comentários

Ninguém nega, nem mesmo Abel Braga, que o Internacional não jogou bem na noite deste sábado, na Fonte Nova. Mas acabou vencendo o Bahia por 1 a 0, com gol do lateral direito Wellington Silva, em falha do goleiro Marcelo Lomba. O técnico colorado exaltou o resultado e disse que o atacante Rhayner foi quem quebrou o esquema visitante, além de explicar que tirou o meia D'Alessandro porque achou que o argentino não estava rendendo todo o possível por conta de um incômodo muscular.

Branquinho e D'Alessandro disputam bola em duelo na Fonte Nova
Branquinho e D'Alessandro disputam bola em duelo na Fonte Nova
Foto: Edson Ruiz / Agência Lance

O treinador afirmou que ficou "feliz da vida" com o resultado e lembrou situações anteriores quando o Inter até teve boas atuações, mas não conseguiu vencer fora de casa. Citou os duelos com Botafogo, Criciúma e até mesmo o Corinthians. Também relatou que os jogadores reclamaram de cansaço, até mesmo aqueles que sempre apresentam condicionamento físico impecável, como os volantes Willians e Wellington. Todos os jogadores valorizaram a vitória com o rendimento ruim.

"Não jogamos bem, mas vencemos. Tem que acontecer algum dia. Jogamos mal hoje, com mais acerto no segundo tempo, e vencemos. O Dida não fez nenhuma defesa. Temos que ficar contentes. Nós no aspecto tático usamos um posicionamento que confunde o adversário quando temos a bola. E hoje ocorreu isso, contra o meu time. Temos o veneno e não tivemos o contra-veneno. Mas tecnicamente a partida não foi boa. Estou feliz da vida", disse Abel.

No intervalo, o técnico substituiu o meia D'Alessandro, algo muito incomum. O argentino não estava rendendo o esperado por conta de um desconforto muscular - que ele já havia acusado no treinamento desta sexta, antes da viagem para Salvador. Abel também falou sobre a bronca que deu no elenco no vestiário e que queria ter feito as três trocas no intervalo.

"A bronca ficou lá e já morreu. Agora, repetimos na segunda, com calma. O cara (D'Ale) é guerreiro. Com certeza não estava 100%. Mas foi para o campo. Achei que na situação que estava, não estava ajudando como ele gosta de ajudar. Troquei. Tem hora que não dá para esperar. Se pudesse fazer cinco substituições, teria mudado três no intervalo. Ninguém pode negar que a campanha é muito boa", completou o treinador.

Fonte: Lancepress! Lancepress!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade