PUBLICIDADE

Fifa cobra da CBF uma liga nacional de futebol feminino

19 mai 2015 18h50
ver comentários
Publicidade

A Fifa cobrou mais ação da CBF para incrementar o futebol feminino no País. Presente ao seminário realizado nesta terça na sede da confederação, no Rio, a gerente de desenvolvimento do futebol feminino da Fifa, Mayrilian Cruz Blanco, criticou o curto período do atual Brasileiro da categoria, com apenas 15 datas em dois meses, e falou sobre a importância de o País criar uma liga nacional.

Apesar de contar com Marta, Brasil tem se distanciado de potências do futebol feminino nos últimos anos
Apesar de contar com Marta, Brasil tem se distanciado de potências do futebol feminino nos últimos anos
Foto: Jose Sena Goulao / EFE

Ela ressaltou ainda que o Brasil se distancia cada vez mais das grandes potências do futebol feminino e afirmou que até mesmo na América do Sul outros países já desenvolvem projetos consistentes para a modalidade. “O Paraguai faz um bom trabalho e deve ter resultados a médio prazo. No Brasil, que tem muito potencial, falta um compromisso da CBF, dos clubes, do governo e patrocinadores.”

“Explicamos sobre a importância de se constituir uma liga aqui no Brasil. É o primeiro caminho para se estruturar. O Brasil é um modelo para o mundo, no futebol. Precisa avançar”, declarou.

Por trás do discurso de Mayrilian, há em primeiro plano o interesse da Fifa em expandir seus negócios comerciais com filiados que tenham força no futebol e potencial de gerar mais recursos para a entidade, com equipes fortes e competitivas.

O presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, abriu o seminário, mas não falou com a imprensa. De acordo com Mayrilian, ele se comprometeu a dar atenção especial ao futebol feminino.

“Ele nos disse que isso é uma prioridade, mas enfatizou que se trata de um projeto que depende de um conjunto de forças, incluindo o governo federal, Estados e municípios. Que a CBF não pode levar o futebol para as escolas.”

O Seminário de Desenvolvimento do Futebol Feminino, que se encerra nesta quarta-feira, também discute como se devem investir recursos equival

entes a R$ 15 milhões, destinados ao futebol feminino do País pelo Fundo de Legado da Copa do Mundo.

Fonte: Especial para Terra
Publicidade
Publicidade