0

Fifa pede explicações e presta solidariedade à seleção de Togo

8 jan 2010
20h25
atualizado às 21h02

A Fifa se manifestou na noite desta sexta-feira sobre a emboscada sofrida pela seleção do Togo em Angola. Em comunicado publicado em seu site oficial, a principal entidade de futebol mundial prestou solidariedade às vítimas do incidente e pediu explicações para a Confederação Africana de Futebol.

» Copa Africana não será cancelada, diz confederação
» Jogadores do Togo querem abandonar Copa Africana
» City informa que togolês Adebayor não está ferido
» Togoleses apontam feridos e relatam atentado: "parecia guerra"
» Ônibus da seleção do Togo é metralhado; motorista morre

"Fifa e seu presidente, Joseph S. Blatter, estão profundamentes tocados com os incidentes de hoje que afetaram a seleção de Togo, a quem expressam sua extrema simpatia. A Fifa está em contato com a Confederação Africana de Futebol e seu presidente, Issa Hayatou, da qual espera-se uma posição sobre a situação", diz o comunicado.

A Confederação Africana anunciou que apesar do ataque e da preocupação com as vítimas, a Copa Africana está mantida. Togo está no Grupo B e tem a estreia marcada para segunda-feira, contra Gana. O diretor de comunicação da entidade, Souleymane Habuba, estava em Luanda, capital de Angola para apurar os acontecimentos.

"Nós precisamos saber todos os detalhes, não temos tudo ainda. Não podemos tirar todas as nossas conclusões baseadas no que a imprensa apurou", disse.

Quem também se manifestou foi a FIFPro, Federação Internacional dos Jogadores de Futebol Profissional, lamentando o ataque sofrido pela delegação de Togo no seu deslocamento para Angola, que sedia a Copa Africana de Nações.

"O futebol é um instrumento de paz, não deveria ser usado como um veículo para violência gratuita, independentemente das reivindicações que possam existir por trás disso", disse.

Com informações da Gazeta Esportiva

Obilalé é uma das nove vítimas da emboscada a Togo
Obilalé é uma das nove vítimas da emboscada a Togo
Foto: Getty Images
Fonte: Redação Terra
publicidade