PUBLICIDADE

Rei do equilíbrio, Campeonato Alemão começa cheio de favoritos

7 ago 2009 - 09h57
(atualizado às 18h56)
Publicidade

No Brasil, há um consenso quase geral de que nenhum torneio nacional é mais equilibrado que o Campeonato Brasileiro. Ou ao menos que tenha mais clubes com possibilidades de título. Pois o Campeonato Alemão, que começa a partir desta sexta-feira, abrindo de verdade a temporada europeia, tem justamente essa característica como sua marca principal.

» Veja as fotos dos brasileiros na Alemanha
» Confira os candidatos ao título na Alemanha
» Futebol alemão supera gigantes europeus em faturamento

Além de Wolfsburg e Stuttgart, que fazem a partida inaugural desta edição 2009/10, Bayern de Munique e Hertha Berlin chegaram até a rodada final da temporada passada com reais possibilidades de título. E neste ano, o cenário de que aponta para equilíbrio segue o mesmo, como aponta o meia Cícero, ex-Fluminense, e um dos destaques do Hertha.

"Os jogos são sempre muito disputados. Às vezes, é mais difícil enfrentar um time que está lá embaixo ao invés de um dos primeiros. Eles não desistem, então é sempre difícil e tem que ter a atenção redobrada. Além disso, a maioria está economicamente na mesma estatura", aponta o meia, que dá um pescoço de vantagem para Bayern de Munique, Hamburgo, o atual campeão Wolfsburg e o Bayer Leverkusen, do brasileiro Renato Augusto.

"Os times tradicionais sempre são fortes e portanto apontados como favoritos. Mas na temporada passada, até o Hoffenheim liderou (foi o campeão do primeiro turno) e o Leverkusen teve chances. É um campeonato forte, que atrai muito público. Com isso, todos os anos as equipes se reforçam e há essa divisão de forças", explica Renato, eleito um dos três melhores jogadores estrangeiros do último Alemão.

Campeonato dos brasileiros

Principal novidade brasileira no Campeonato Alemão, o meia Maicosuel, agora no Hoffenheim, foi o melhor jogador do último Campeonato Carioca, pelo Botafogo, e tentará ser mais um representante do Brasil a brilhar em território germânico, seguindo uma tradição que vem desde Elber no Bayern de Munique e Júlio César no Borussia Dortmund.

"Tenho me adaptado da melhor forma possível ao país, porque há muitos brasileiros no clube. Também tenho treinado entre os titulares, comecei jogando na Copa da Alemanha e o Hoffenheim tem um grupo jovem em que todos querem ser campeões. A molecada corre o jogo todo", explica. "Meu primeiro ano é de adaptação e o segundo, depois, para tentar fazer história. Quero colocar meu nome na história do clube", diz, com convicção.

Renato Augusto também pensa grande e, depois de uma grande temporada de estreia na Alemanha, almeja objetivos maiores com o Leverkusen. "Meu grande objetivo nessa temporada é conquistar um título", diz, pensando também na Seleção Brasileira. "Será consequência de um bom trabalho aqui".

Cícero, que chegou a liderar o campeonato durante o segundo turno, com o Hertha Berlin, é outro que conquistou respeito na Alemanha e disputa uma temporada de afirmação e grandes objetivos. "Ano passado fui muito bem, como todos viram e elogiaram. A imprensa também fala em Seleção. Qual jogador não tem interesse? É um dos maiores sonhos", diz o ex-Fluminense.

Renato Augusto tentará levar Bayer Leverkusen ao título alemão
Renato Augusto tentará levar Bayer Leverkusen ao título alemão
Foto: Getty Images
Fonte: Redação Terra
Publicidade