0

Brasileiro recebe prêmio e pode se naturalizar polonês

2 mar 2010
11h25
atualizado às 12h23
  • separator
  • comentários

Cada vez mais comum no futebol mundial, jogadores nascidos em um país acabam se naturalizando por outro e defendendo sua seleção nacional. Deco em Portugal e Marcos Senna na Espanha são alguns exemplos de brasileiros que seguiram por esse caminho. E o próximo que pode escolher essa opção é Bruno Coutinho, cotado para vestir a camisa da Polônia.

"A naturalização sempre foi uma situação que me entusiasmou bastante e foi um tema muito falado nos últimos meses pela imprensa daqui. Mesmo não sendo a seleção do meu país, eu defenderia a Polônia, pois teria a chance de jogar uma Eurocopa e quem sabe até uma Copa do Mundo, o que é um sonho para qualquer jogador", disse o jogador.

O volante, 23 anos, iniciou sua carreira no Grêmio e, antes de chegar ao solo polonês, defendeu as cores do América de Natal e do Nacional do Uruguai. Atuando pelo Jagiellonia Bialystok desde 2008, o atleta conquistou o prêmio de melhor volante do Campeonato Polonês.

"Receber um prêmio individual sempre é muito bom. Isso mostra que o trabalho está sendo bem feito. Ser reconhecido em um país como a Polônia, que dificilmente escolhe um estrangeiro como o melhor da posição, é muito gratificante. Pude conquistar isso na minha carreira e mostrar que nós, que não somos do país, estamos valorizando a liga daqui", afirmou o volante.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade