PUBLICIDADE

Real "galáctico" e Barcelona super campeão duelam por Espanhol

28 ago 2009 - 17h09
(atualizado às 17h17)
Publicidade

Dassler Marques


Entre as principais ligas da Europa, praticamente nenhuma tem tantos bons clubes médios quanto a da Espanha, que se inicia neste sábado. Atlético de Madrid, Sevilla, Valencia, Villarreal e Deportivo La Coruña, por exemplo, são constantes ameaças aos grandes. Nesta nova temporada, no entanto, todos estão aparentemente fadados à figuração. Faz muito tempo que Barcelona e Real Madrid não chegavam tão fortes.

Em tese, uma pequena vantagem está nas mãos do Barcelona, que manteve 10 dos 11 titulares que ganharam todos os torneios disputados na última temporada: Campeonato Espanhol, Liga dos Campeões e Copa do Rei. E ao trocar Samuel Eto'o por Zlatan Ibrahimovic, por mais polêmica que tenha sido a transação, é difícil dizer que houve perda de qualidade.

Do outro lado, o Real Madrid não mediu esforços, muito menos dinheiro, para fazer uma grande temporada. Além de trazer os dois últimos melhores do mundo, Kaká e Cristiano Ronaldo, o presidente Florentino Pérez comprou Karim Benzema, ex-Lyon, seguido por meia Europa, e ainda reforçou a defesa com os razoáveis Xabi Alonso e Arbeloa, ambos ex-Liverpool, e Albiol, ex-Valencia. Ou seja: a briga será fortíssima.

"Independente do momento e das contratações, os grandes favoritos sempre são Real Madrid e Barcelona. São os maiores clubes, fazem os maiores investimentos. Fica difícil dizer quem tem mais condições", opina o goleiro brasileiro Renan, formado no Internacional. Nesta temporada, ele foi emprestado pelo Valencia ao Xerez, recém-promovido à elite.

Por falar em investimentos, impressiona o poderio financeiro do Real Madrid em meio à crise. Sozinho, gastou 257 milhões de euros (R$ 688 milhões), quase a metade dos 447 milhões de euros (R$ 1,197) que foram despendidos por todos os 20 clubes da primeira divisão. E ainda aproximadamente o triplo do que tirou do bolso o Barcelona: (R$ 230 milhões).

Renan imagina que, apesar dos gastos, o Real terá percalços no início, ainda que superáveis. "Sempre vai ser uma equipe a ser batida. Acredito que por terem feito muitas contratações, vai ter um pouco de dificuldade no começo em relação ao entrosamento, mas, pela qualidade dos jogadores que chegaram, tem tudo para conseguir superar isso rapidamente".

Entre os clubes médios, timidez na busca por reforços de peso, mas ainda assim força suficiente para manter as estrelas. Até segunda ordem, pois a janela de transferências se encerra na segunda-feira, Forlán e Agüero seguem com o Atlético, David Villa e David Silva continuam no Valencia, Luís Fabiano e Kanouté no Sevilla e, também, Giuseppe Rossi e Marcos Senna no Villarreal.

Sinal de um Campeonato Espanhol fortíssimo, ainda que fadado a uma disputa a dois do Real galáctico e do Barcelona super campeão.

Kaká e Cristiano Ronaldo estrelam a segunda formação do Real Madrid galáctico
Kaká e Cristiano Ronaldo estrelam a segunda formação do Real Madrid galáctico
Foto: Getty Images
Fonte: Redação Terra
Publicidade