0

Campeonato Espanhol retorna com sorrisos no Real Madrid e problemas no Barça

15 ago 2013
18h25

O Campeonato Espanhol de futebol começa neste sábado com o Barcelona tentando defender o título após um verão cheio de contratempos e com o Real Madrid animado com uma série de boas notícias.

Ambos os clubes, vencedores das últimas nove ligas, mudaram de treinador para a nova temporada, embora em contextos diferentes.

O novo técnico do Real Madrid, o italiano Carlo Ancelotti, chegou à capital espanhola com o título de campeão francês pelo Paris Saint-Germain no bolso e prometendo uma temporada de alegrias, após as diversas polêmicas da era Mourinho, hoje no Chelsea.

A troca foi mais delicada no Barcelona, onde Tito Vilanova se viu obrigado a deixar o posto em julho em função da recaída de um câncer na glândula parótida.

A rápida contratação do argentino Gerardo 'Tata' Martino ainda não dissipou completamente as incertezas num clube acostumado a vencer quase tudo que disputou nos últimos cinco anos, nos quais somou quatro Campeonatos Espanhóis (2009, 2010, 2011, 2013) e duas Ligas dos Campeões (2009, 2011).

Com poucas equipes na Liga Espanhola capazes de impedir um novo título do Real Madrid ou do Barça, o resultado parece depender da rapidez de adaptação de Ancelotti e Martino aos novos elencos.

Martino terá que reconstruir uma defesa sem o machucado capitão Carles Puyol (35 anos) e, principalmente, garantir a harmonia dentro de campo entre o craque argentino Lionel Messi e Neymar, jovem ídolo brasileiro recém contratado.

Messi, quatro vezes eleito o melhor jogador do mundo e artilheiro da última Liga com 46 gols, e o atacante da seleção brasileira, contratado pela bagatela de 57 milhões de euros junto ao Santos, também sofreram contratempos durante este verão europeu.

Em abril, o argentino sofreu uma lesão muscular na coxa direita e não pôde estar a 100% para a Liga dos Campeões, na qual o Barça foi humilhado pelo Bayern nas semifinais, perdendo por 7 a 0 no placar agregado. Após participar da grande parte dos jogos de pré-temporada do Barça, porém, Messi ficou de fora do amistoso vencido pela Argentina contra a Itália (2-1) na última quinta-feira em função de outras lesão muscular.

Já Neymar, que foi operado das amígdalas depois da Copa das Confederações, apresentou-se ao clube abaixo do seu peso normal e a imprensa espanhola chegou a noticiar que ele apresentava um quadro de anemia.

Do lado do Real Madrid, o grande desafio de Ancelotti será recompor um vestiário devastado por José Mourinho, que manteve um conflito aberto com jogadores como o goleiro Iker Casillas e o atacante português Cristiano Ronaldo. A experiência de Ancelotti, unida ao prestigio de Zinédine Zidane, seu assistente, já parece surtir efeito.

A equipe merengue aproveitou a janela de transferência para ir às compras, com as contratações de Isco, Asier Illarramendi e Dani Carvajal para afiar o setor ofensivo. O galês Gareth Bale, do Tottenham inglês, poderá se juntar a eles já que, de acordo com as imprensas espanhola e britânica, o Real estaria disposto a desembolsar cerca de 100 milhões de euros pelo jogador.

Para cair de vez nas graças dos torcedores do Santiago Bernabeu, Ancelotti terá que conquistar a tão sonhada décima Liga dos Campeões, título que o clube busca desde que venceu a maior competição continental pela última vez, em 2002.

À exceção de Barça e Real Madrid, as outras equipes do Campeonato não se reforçaram muito na janela de transferência.

O Atlético de Madrid, terceiro colocado em 2012-2013, vendeu seu artilheiro estrela, o colombiano Radamel Falcao, ao Mônaco francês, mas conseguiu trazer o atacante do Barça David Villa, que espera recuperar sua melhor forma após a lesão de 2011-2012.

Outros clubes também deixaram algumas peças-chave saírem, como a Real Sociedad, que perdeu o cobiçado técnico Philippe Montanier para o Rennes da França, o Valencia, que mandou ao Tottenham seu artilheiro Roberto Soldado, ou o Sevilla, que vendeu ao Manchester City os jogadores Jesus Navas e Alvaro Negredo.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade