0

Messi indiciado na Espanha por fraude fiscal

20 jun 2013
11h31
atualizado às 11h34

A justiça espanhola indiciou formalmente o jogador argentino Lionel Messi e seu pai por suspeitas de fraude fiscal e convocou o astro do Barcelona a prestar depoimento em 17 de setembro, informou um porta-voz da promotoria provincial de Barcelona.

O caso está relacionado com supostos esquemas de evasão fiscal relativos a mais de quatro milhões de euros.

A queixa foi apresentada em 12 de junho pelo departamento financeiro da promotoria contra Messi e seu pai, Jorge Horacio Messi, ante o tribunal de Gava (perto de Barcelona), onde reside o jogador, "por três supostos crimes contra a Fazenda pública".

"A juíza admitiu a queixa no dia de hoje (quinta-feira) e os convocou para depor em setembro", afirmou à AFP o porta-voz da promotoria, José Miguel Company.

Messi deverá comparecer em 17 de setembro às 10 da manhã e seu pai uma hora depois.

Segundo a acusação apresentada em 12 de junho, Messi "recebeu importantes quantias" por direitos de imagem entre 2006 e 2009 que "deveriam ser tributados em suas declarações correspondentes", mas isto não aconteceu.

A quantia fraudada alcançaria, segundo a acusação, 4,16 milhões de euros: 1,06 milhão em 2007, 1,57 milhão em 2008 e 1,53 milhão em 2009.

Segundo a promotoria, os Messi tentaram "burlar" a tributação cedendo os direitos de imagem do jogador a "empresas puramente instrumentais" localizadas em paraísos fiscais como Belize e Uruguai.

O atacante do Barça e capitão da seleção argentina, de 25 anos, alega inocência desde que soube que ele e o pai eram objeto de uma investigação judicial.

"A denúncia nos causa surpresa porque nunca cometemos infração alguma", escreveu em sua página no Facebook o argentino, considerado por muitos o melhor jogador do mundo.

"Sempre cumprimos nossas obrigações tributárias, seguindo os conselhos de nossos assessores fiscais, que explicarão esta situação", completou.

"O FC Barcelona não tem nenhuma dúvida sobre a inocência de Messi", declarou em 13 de junho o presidente do clube, Sandro Rosell.

A imprensa espanhola destacou que a imagem do argentino de estrela do futebol de caráter humilde poderia ser prejudicada.

O argentino ocupa a 10ª posição na lista da Forbes de atletas mais bem pagos. A publicação atribui a Messi uma renda anual de 41 milhões de dólares, entre salário e direitos de imagem.

"Um símbolo sob suspeita", afirmou na semana passada o Marca, principal jornal esportivo do país.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade